Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Barcelona

Tenho no baú das memórias um post sobre Barcelona, sobre a magnífica cidade que adorei conhecer, passeamos pelas Ramblas todos os dias, estávamos alojados num apartamento relativamente próximo e Barcelona é uma cidade que pede para ser calcorreada e nós não ficamos indiferentes ao seu apelo e caminhamos pelas suas avenidas, ruas, vielas, jardins fascinados pelos aromas, pelas cores, pela cultura, pelo ambiente descontraído que a cidade respira.

 

Na altura, apesar de os atentos terroristas em França e das constantes ameaças do Daesh, não me deixei afetar, a cidade absorveu-me de tal forma que a ideia de um ataque terrorista não me cruzou o pensamento, mas cruzou diversas vezes o do meu marido, o Moralez por várias vezes me confidenciou estar sempre atento, não fosse avistar um veículo operado por um terrorista, recordo-me de uma vez precisamente no fim da Ramblas me dizer – “Já viste se decidem entrar aqui com um camião?

 

Ontem decidiram, não foi com um camião, mas com uma carrinha, atropelaram dezenas de pessoas, 13 vítimas mortais e mais de uma centena de feridos em mais uma atitude ordinária e inqualificável.

Não posso dizer que não tenho medo de um atentado, tenho, mas o meu maior receio é que as pessoas comecem a ver os ataques terroristas com normalidade, como atos que fazem parte das suas vidas, não se compadecendo, revoltando e questionando, como já fazem em relação a tantas outras situações terríveis.

 

Será essa a realidade num futuro próximo?

Mais do que viver com a nuvem negra da ameaça, desconfiando da própria sombra, assusta-me que isso passe a ser normal, pois a distância entre a exceção e a normalidade é medida pela frequência, e estão a ser demasiado frequentes.

Por mais frequentes que os ataques terroristas sejam, por mais que nos queiram assustar e reprimir, não se deixem amedrontar e não fiquem indiferentes.

Um ataque terrorista é um atentado contra a justiça, contra a igualdade, contra a liberdade, é um atentado contra a humanidade.

Não percamos a nossa humanidade e empatia, é isso que nos diferencia de quem os comete, é a defesa de um mundo mais justo, da igualdade e da liberdade que a nossa força reside.

As desgraças andam sempre de mãos-dadas

Eu farto-me de dizer que as desgraças nunca veem sós e não veem, começam por coisas simples e depois é sempre a piorar, normalmente aparecem quando estamos felizes, não sei se é assim com os outros, mas na minha vida é sempre assim.

Na passada quarta-feira entornei a caixa do sal, senti um calafrio e um pensamento mau assolou-me a mente, mas como não dou importância a essas coisas não pensei mais no assunto.

 

No dia seguinte a minha irmã teve um acidente, uma queda estúpida que resultou numa dupla fratura exposta na tíbia e no perónio, uma daquelas coisas que nos coloca o coração nas mãos, foi por isso é que as miniférias não foram totalmente tranquilas, ultimamente sempre que nos ausentamos acontece algo a um familiar.

 

Ontem as coisas começaram a descarrilar, o típico começa com um pequeno percalços até descambar por completo, o dia começou com um engano do padeiro que em vez de não trazer pão nos dias 14 e 15 achou que não devia trazer pão a partir de 15, conclusão, o pão de dois dias para o lixo e falta de pão para o pequeno-almoço, nada grave, mas alguma coisa me dizia que as coisas não iriam ficar por ali.

Não ficaram. No final da tarde fiquei a saber que iria ter de colocar dois amortecedores novos no carro, estava desconfiada que seria essa a causa do barulho, não me apanhou de surpresa, é mais uma despesa, sabe mal, mas paciência.

Tivemos o jantar estragado por mais um acidente, uma pequena reconstrução do dente partiu, não é nada grave, mas como se nota há que marcar dentista de urgência, felizmente a dentista não se encontra de férias.

 

Já no fim da noite ouço o Moralez chamar-me do exterior, juro que pensei que fosse para ver algo engraçado, como um pirilampo, enganei-me, a nossa Lu estava sem força nas patas traseiras, partiu-me o coração, não sabemos o que aconteceu, não apresenta sinais de pancada, nem se queixa. Não quis comer biscoitos demos-lhe comida molhada, comeu bem, preparamos-lhe o ninho no chão e colocamos a água e a comida junto dela.

Hoje continua igual, agora estamos a tentar marcar no veterinário uma consulta, não está fácil está tudo fechado para férias e já tivemos uma má experiência.

Estou ansiosa para chegar a casa e ver como esta, espero que esteja melhor.

Já apanhamos um susto tão grande com ela.

 

Espero sinceramente que a nuvem negra tenha terminado ontem, são demasiadas coisas a acontecer ao mesmo tempo, a juntar a isto tenho um sem fim de coisas para organizar e tratar profissionais e pessoais e o tempo esgota-se, esfuma-se, que desespero, não tenho tempo para nada, nem para prestar o apoio que desejo à minha irmã.

Parece segunda-feira

É que parece mesmo, até há disponível um novo episódio de Game of Thrones e tudo.

Cortesia do canal espanhol HBO que lançou o episódio errado na segunda-feira passada.

A boa notícia é que amanhã já é quinta e faltam apenas dois dias para o fim-de-semana.

Começo a achar que estes spoilers todos e a chantagem dos hackers é tudo para causar burburinho, tudo marketing meus senhores, tudo marketing e está a resultar já que a visualização dos últimos episódios bateu todos os recordes.

O meu conselho? Esperem mesmo pela próxima segunda-feira ou depois ficarão a ressacar quase 2 semanas pelo próximo capítulo das aventuras no Inverno.

Pág. 1/5