Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

A minha colega é mais parva que a tua!

Eu tenho excelente ambiente no trabalho, especialmente no meu gabinete, mas como em todas as empresas há colegas melhores do que outros e pessoas mais parvas do que outras.

Eu tenho uma muito parva e burra.

 

Hoje não sou só eu que tenho dores de dentes, uma colega de trabalho está com uma infeção num dente partido desde segunda-feira e hoje de manhã estava com a cara muito inchada e muito queixosa.

Acabamos por confidenciar as duas, num reconforto do não há nada a fazer se não esperar.

Na hora de almoço achei que ela estava pior, a cara estava visivelmente mais inchada.

Entrei no gabinete dela e perguntei-lhe se não se sentia melhor, respondeu que não.

Perguntei-lhe se estava medicada, disse que sim, que estava a tomar antiflamatório e antibiótico. Fiquei preocupada porque já tinha ido ao dentista na segunda, pergunto-lhe desde quando é que está tomar e é aqui que conversa fica interessante:

Ela – Desde hoje.

Eu – Só te mandou tomar hoje?

Ela – Não, mandou tomar logo.

Eu – E não tomaste?

Ela – Não, só comprei ontem e só tomei hoje.

Eu – Mas andas com infeção desde segunda e só hoje tomas o antibiótico? És doida?

Ela – Não gosto de comprimidos, prefiro sofrer a tomar comprimidos.

Eu – Mas sabes que a infeção não passa sem antibiótico? Isso é uma irresponsabilidade.

Ela – É nada estava a ver se passava. Detesto comprimidos e estes são grandes.

Eu – Se fosse o teu filho como farias? Partias a meio e tomavas metade de cada vez.

Ela – Seguia as instruções do médico. Com as crianças é diferente.

Eu – É diferente nada é igual, estás aí com dores sem necessidade, como sabes as infeções não se curam sozinhas. Os médicos não receitam antibiótico sem motivo.

Ela – Eu sei. Tomei dois compridos logo de manhã, agora passa rápido.

Eu – Tomaste dois comprimidos do antibiótico juntos?

Ela – Comigo é tudo ou nada.

Eu – Eu nem te digo mais nada, nem acredito que fizeste isso! Foste muito irresponsável.

Ela – Arranja mas é um filho para repreenderes!

 

Ora ela é conhecida pelas respostas tortas e mais uma vez como percebeu que estava errada terminou a conversa com uma parvoíce, típico dela.

Eu olhei-a nos olhos e respirei fundo.

Passaram-me duas respostas pela cabeça uma mazinha e outra muito má.

Mas limitei-me a fuzila-la com o olhar. Preocupação com ela novamente? Nunca mais.

Se quer continuar a ser burra força nisso.

68 comentários

Comentar post