Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Até 2017

Se 2015 foi um ano de colapso, onde muitos dogmas, verdades instituídas e certezas se desmoronaram, um ano de desilusões e de abandonos, 2016 foi um ano de confirmações, de questões, dúvidas e incertezas.

Em dois anos a minha vida passou de serena, planeada e feliz a uma vida perdida, incerta, sem direção, nestes dois anos questionei tudo, família, amigos, emprego, planos, prioridades, tudo acompanhado de uma avalanche de emoções e muito, demasiado, descontrole emocional.

 

Não é fácil perceber que até as coisas mais simples, que parecem acontecer sem esforço a toda as pessoas nos são vedadas, parecem inatingíveis e cada vez mais distantes. Quando algo que queremos e desejamos que é tido como um dado adquirido não acontece, a frustração, a revolta, a tristeza leva-nos a questionar tudo, até a nós próprios.

 

Se existe travessia no deserto estes dois anos foram parte da minha, digo parte porque não acredito que as coisas mudem só porque transitamos para 2017, afinal 2017 é apenas um número. Acredito que a minha vida entrará nos eixos à mesma velocidade que descarrilou, uma coisa de cada vez, lentamente até ganhar velocidade de cruzeiro e estabilizar.

2016 foi um ano complicado, disso não existem dúvidas, mas também foi o ano onde muitas coisas se descomplicaram e muitas coisas se desvendaram.

 

Depois de a vida me ter proporcionado um portão que consegui não ver, fiquei satisfeita por me ter deixado entrar pela frincha da porta, mas a satisfação não durou muito tempo, porque há pessoas que têm como missão na vida complicar a vida dos outros e aprendi a não festejar antes do tempo, mas há males que vêm por bem e quando menos esperava a situação reverteu-se.

 

Não festejei, não contei a ninguém, a única pessoa que sabe é o Moralez, só falei do projeto com quem está envolvido e por razões profissionais e pessoais continuará a ser segredo.

 

2017 arranca com um projeto novo, um projeto que ajudei a criar, que tem muito de mim, a começar pelo nome, um projeto que tenho a certeza me dará muitas alegrias e muitas dores de cabeça, só hoje falo dele porque só hoje se efetivou e só agora acredito que é verdade.

Não festejei, não festejarei, mas tenciono desfrutar deste privilégio, é gratificante ver nascer algo nosso.

 

Depois de algumas complicações a nível laboral quer da minha parte, quer da parte do meu marido, as coisas resolveram-se porque afinal a competência, a idoneidade e a dedicação compensam e dão frutos.

Este projeto tomar-me-á muito tempo, tempo que inevitavelmente irá afetar a gestão do blog, é provável que nos primeiros meses de 2017 a minha presença aqui seja menos assídua, mas estarei sempre por perto.

O blog é em si um projeto, que para mim teve um objetivo específico, mostrar-me que consigo manter-me num projeto, com princípio, meio e fim, que consigo resistir, persistir, é a prova que a resiliência faz parte de mim.

Ao longo da minha vida iniciei diversos projetos pessoais e profissionais que abandonei sem explicação, o blog é a prova escrita que consigo manter-me focada, decidida e constante num projeto.

 

Muito obrigada a todos os que por aqui passam, vocês foram cruciais para que este projeto fosse a bom porto, dando-me sempre apoio, incentivo e ideias, sem vocês nada disto faria sentido. Não imaginam vocês o quão crucial foi o blog e a vossa presença para a minha sanidade mental.

 

Obrigada à Equipa do Sapo Blogs pela gestão da blogosfera, nem sempre concordamos, mas se concordássemos isto não teria a mesma piada e um obrigada à Equipa da Homepage do Sapo que me concedeu diversas vezes o privilégio de constar na Homepage do portal Sapo.

 

Um obrigada muito especial ao meu marido que me tem acompanhado nesta aventura e que torna tudo isto mais engraçado e mais intenso, pois quando somos dois a ter um blog a boguisse é a dobrar.

2016 termina assim com uma notícia positiva, espero que seja este o tom para 2017.

 

Reitero os meus votos de um excelente 2017 a todos.

Beijinhos e até para o ano.

33 comentários

Comentar post

Pág. 1/2