Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Carta ao Ano Novo

 

Querido Ano Novo escrevo-te desde o Ano Velho que para ti pode parecer distante, mas para mim é o presente, escrevo-te estas linhas na esperança que te encontres bem, cheio de força para arrancares a todo o vapor e chegares ao fim da tua jornada satisfeito e feliz.

Sei que para ti é um pouco indiferente a vida de cada um de nós, pois tens acontecimentos maiores e mais marcantes para te preocupares, vitórias, feitos, descobertas, catástrofes, extinções, tragédias, factos que se perpetuarão nos anais da história como sendo tua obra, mas pedia um pouco da tua atenção para mim.

 

Perdoa-me se te trato por tu, mas ainda não chegaste e já me referi a ti tantas vezes que é como se já te conhecesse, mesmo sem ainda te ter visto, como acompanhar-me-ás durante 12 meses, 365 dias, 8,760 horas, 525,600 minutos e 31,536,000 segundos é melhor que sejamos próximos desde o primeiro momento, pois quero ter uma boa relação contigo.

Sinto que eu o teu antecessor não tivemos uma boa relação, não gostei muito das surpresas que ele me atribuiu e acho que foi injusto comigo, mas mágoas para trás das costas, 2017 está quase, quase a terminar e como costumam dizer quero entrar em 2018 com o pé direito e é esse o motivo por que te escrevo.

 

Quero dizer-te que te vou receber de braços abertos e sem expectativas, mas com carinho, afinal as mudanças são sempre bem-vindas e tu és uma grande mudança, és uma oportunidade, és a renovação da esperança e a possibilidade de quebrar um ciclo, sei que és figurativo, és apenas um marco temporal, mas eu acredito que há ciclos bons e maus e tu serás um dos bons.

Não te peço nada a não ser tranquilidade, paciência, resiliência e perseverança, qualidades que 2017 não me concedeu, sei que com elas irei ultrapassar qualquer dificuldade que se atravesse no meu percurso e terei mais facilidade em aceitar o que não posso mudar.

Espero que sejas brando para o Mundo e para a Humanidade, estamos cansados e fustigados por tantas desgraças e tragédias, que tragas paz e harmonia e, se não for pedir muito, concede discernimento aos líderes de todo mundo, que eu e tu sabemos que a culpa de muitas calamidades é deles.

 

Querido 2018 receber-te-ei de braços abertos, só peço que não me dês esperanças vãs, pois o meu espírito não aguentará desilusões, está um bocadinho cansado de remar contra a maré, que tragas bons ventos em particular para mim e para os meus e em geral para o Mundo e todos os que nele habitam.

2018 da minha parte garanto que estou preparada para ser muito feliz contigo, agora vá lá faz a tua parte e seremos felizes juntos.

 

A tua sempre amiga,

Psicogata

 

 

 

Desejo a todos que 2018 vos conceda todos os desejos e vos permita concretizar todos os sonhos.

Feliz 2018!

34 comentários

Comentar post

Pág. 1/2