Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Desafio - Descobrindo Novos Blogs

Descobrindo novos blogs.jpg

 

Quero agradecer à Mula pela nomeação, não vou alterar nenhuma questão pois as questões parecem-me todas pertinentes.

Ora aqui vai disto.

 

  1. Qual o "porquê" do teu blog?

Sempre gostei de escrever, mas estive muito tempo sem o fazer, com a proliferação de blogs surgiu essa vontade naturalmente, já tive mais do que um, começava a escrever quando estava triste, fazia dois ou três desabafos e nunca mais lá ia.

Depois a Língua Afiada surgiu como um escape, com o intuito de criticar e escrutinar aquilo que eu achava estúpido, me irritava ou não gostava, o intuito era ter um toque de humor e sarcasmo, mas com o aumento da frequência da escrita acabou por ser mais um blog pessoal, de partilha de pensamentos e experiências.

Continuo a escrever mais quando estou triste, é quando estou triste que escrevo coisas mais profundas e com mais sentimento.

Acho que o porquê do blog passa pela minha necessidade e escrever o que sinto para organizar as minhas ideias, já escrevi muita coisa que apaguei sem publicar porque entretanto as ideias organizaram-se.

 

  1. Qual a melhor revelação que o teu blog te fez?

Que existem muitas pessoas que pensam como eu, muitas pessoas que não seguem a manada.

E que nunca deveria ter deixado de escrever, é um hábito que me faz bem, mesmo que escreva apenas para mim.

 

  1. O que fazes para trazer novos conteúdos para o blog?

A primeira inspiração é sentir-me triste com algo, mas como felizmente raramente estou triste escrevo sobre o que me rodeia.

Escrevo sobre coisas que me tiram do sério, que me dão nervos e me indignam, não escrevo sobre todas ou este blog teria de se chamar indignada anónima. (Um nome giro para dar a uma comunidade Indignados Anónimos).

Curiosamente muitas vezes é o meu MQT (marido) que me sugere temas, ele é a única pessoa que me conhece que sabe que tenho o blog.

 

  1. O que gostarias de alcançar com o teu blog?

Mentiria se dissesse que não desejo reconhecimento, é bom ter leitores, especialmente que gostem do que escrevemos.

O sonho seria viver do blog, já que é muito mais interessante fazer post giros para viver do que estar a aturar um patrão durante 8h ou mais horas diárias.

Voltando à realidade gostava de conseguir dar continuidade a este projeto, costumo abraçar diversos projetos ao mesmo tempo e depois tendo a deixa-los a todos em banho-maria.

 

  1. O que te leva a seguir um blog/página?

Gosto de blogs pessoais que relatam experiências, uns dias amor outros humor, as melhores histórias são as mais simples e as que espelham o nosso dia-a-dia.

Gosto de blogs de moda para me inspirar nos looks e gosto de blogs de humor para desanuviar.

Gosto de blogs bem escritos, aqueles em que colamos, que são descontraídos o suficiente para os devorarmos e profundos o suficiente para não serem supérfluos.

Valorizo o design, o tipo de letra, as cores e as imagens podem fazer-me voltar ou não. Não consigo acompanhar blogs pouco amigáveis do leitor, ossos do ofício.

 

  1. Gostas mais de escrever ou de ser lida?

Gosto mais de escrever, mas a sensação de saber que alguém nos lê é reconfortante e motivadora. É uma sensação muito boa escrevermos o que nos vai na alma e alguém estar lá para o ler, comentar e aconselhar sem segundas intenções ou pretensões.

 

  1. Qual foi a maior surpresa (boa ou má) que a vida adulta te trouxe?

Confirmar, já o sabia, que ser adulto é uma seca.

Mas perceber que era ainda pior do que aquilo que imaginava. Com a idade e as responsabilidades a aumentarem, simplesmente não temos férias, existem sempre problemas, coisas para resolver, coisas para reparar, decisões a tomar. Nunca mais as coisas estão bem a 100%, seja porque nos falta alguém que já partiu seja porque se dá uma surpresa desagradável.

A outra surpresa foi perceber que também as pessoas são ainda piores do que julgava.

A surpresa boa foi perceber que apesar disto tudo é possível ser-se otimista e positivo, viver intensamente e ser-se feliz.

 

  1. Qual é a tua maior paixão na vida?

Viver, amar e viajar.

A minha maior paixão é poder partilhar a minha vida com as pessoas que mais amo, especialmente o meu MQT, para mim a vida não faz sentido se não for partilhada.

Depois tenho várias paixões menores, comida, gatos, borboletas, fotografia, escrever, cantar, dançar, ler, cinema, flores…

 

  1. Qual o hábito diário de qual não prescindes? 

Dar um beijo à chegada e à saída ao meu MQT, quando não o faço parece que me falta algo.

E cantar acho que não há um dia que não cante, nem que seja em surdina.

  1. Se pudesses viajar no tempo, escolhias ir para o passado ou para o futuro? Porquê?

Por mais que tenha curiosidade sobre o futuro se tivesse de escolher gostava muito de ir ao passado, à infância onde tudo era lindo, cor-de-rosa e harmonioso.

Se pudesse ir ao futuro gostava de ir ao dia do meu funeral, a reação das pessoas à nossa morte diz muito sobre o que sentem sobre nós.

 

 Ora bem e parece que o desafio tem regras... cá estão elas, para quem as quiser seguir:

1 - Responder às perguntas realizadas por quem te nomeou;

2 - Podem criar 10 perguntas diferentes ou apenas algumas ou usar as mesmas;

3 - Marcar 3 a 10 pessoas para responderem a essas perguntas e, claro, avisá-las da nomeação. 

 

Ainda sou nova nesta casa e correndo o risco de nomear pessoas que já foram nomeadas nomeio:

 

A Fatia Mor

A Chic’Anna

A M.J.

A Neurótika Webb

19 comentários

Comentar post