Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Língua Afiada

Mistérios do Amor

Estava agora a comentar o post da Maria das Palavras sobre os homens não se apaixonarem e escrevi uma coisa tão clarividente que tenho de a colocar aqui.

Quando algumas pessoas me perguntam como sabes que o teu marido é o tal? E rematam que não sei porque não tenho como saber. Eu costumo responder – Se perguntas isso é porque nunca encontraste a tal ou o tal. Quando se encontra a nossa alma gémea simplesmente sabe-se, não, não é uma ideia romântica, é algo que sente bem no fundo do âmago e pode ter tanto de doce como de fel, mas é uma sensação maravilhosa passar os dias sem pensar uma única vez e se… 

 

É mesmo isto, pergunto-me muitas vezes o que seria da minha vida se tivesse optado por outro curso, se tivesse optado por outro emprego, se tivesse escolhido outra casa, se tivesse ou não tivesse feito isto ou aquilo, mas nunca me perguntei ou questionei como seria a vida se não estivesse ao teu lado.

Poderia mudar mil e uma coisas na minha vida, mas tu és sempre a constante, o denominador comum em todas as histórias, de todas as decisões e de todos os futuros.