Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

O cérebro também dói

Ontem antes de adormecer:

- O cérebro pode doer?

Moralez – Não, sabes bem que não.

Eu acho que pode. Doí-me o cérebro.

Gargalhada.

 ....

A verdade é que o cérebro pode doer e o meu ontem doía-me, deitei-me com esta ideia porque sentia que o meu cérebro estava em sofrimento.

Não era uma dor física como uma dor de cabeça ou umas pontadas finas e acutilantes, era antes um fastio no estômago, uma névoa nos olhos, uma confusão de ideias e preocupações, um misto de stress e ansiedade, uma explosão de cansaço psicológico com horas a menos de sono.

O cansaço era tal que trocava as coisas mais absurdas, meter carne no micro-ondas em vez do frigorífico por exemplo, esqueci-me da receita do jantar, esqueci-me de comprar um presente, coloquei para lavar uma toalha limpa e coloquei a uso a usada, no supermercado dei dinheiro a mais e quase me esqueci das compras, um rol de peripécias.

Felizmente esta noite dormi a noite toda seguida, oito horas de descanso finalmente, acordei com sono, mas bem mais descansada e com o cérebro mais recomposto.

Esta situação é toda por minha culpa, demasiadas coisas ao mesmo tempo, demasiados projetos, demasiadas ideias, demasiados sonhos, demasiadas preocupações, demasiadas decisões, como detesto tomar decisões importantes, fico sempre com aquela sensação que não é a melhor opção, que pode sempre aparecer algo melhor, que não é a altura certa, coloco tanta pressão em mim que acontece uma de duas coisas ou acabo por não decidir nada e desligo ou fico com dores de cérebro.

A culpa é das malditas expetativas que falava ontem, não é que sejam muito altas, não são, mas são constantes, se não são colocadas por nós, são colocadas pelos outros, parece que estamos constantemente à prova.

Hoje o cérebro dói menos um bocadinho, mas ainda fico a pensar nas palavras, o que é sinal de cansaço, é isso ou o meu cérebro a desligar para entrar em modo férias. Talvez sejam as duas coisas, uma combinação terrível para quem tem ainda tanto para fazer.

Férias precisam-se com urgência, é uma questão de saúde.

 

29 comentários

Comentar post