Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Então e nova maçã (iPhone X)? Review :D

Em primeiro lugar escreve-se iPhone X mas lê-se iPhone 10, mania que esta gente chic tem de complicar as coisas, depois os parolos fãs incondicionais das marcas trendy não sabem como pronunciar o nome.

Ele é iPhoni, iPoni, efone, juro que já ouvi um pouco de tudo.

 

Se eu gosto da marca Apple? Gosto, acho que todos os produtos são esteticamente bonitos, quase todos funcionais e como profissional de marketing gosto ainda mais de perceber como o seu marketing funciona, é um case study dos que valem a pena.

Se acho normal alguém gastar dois ordenados mínimos num telemóvel, quando ganha efetivamente o ordenado mínimo e vai estatelar o vidro do seu querido iPhone antes de o acabar de pagar? Não acho, acho pura estupidez.

Ao nível de quem compra um Mercedes e depois não tem dinheiro para pagar uns pneus novos porque se entusiasmou a mostrar a velocidade estonteante aos amigos e subiu um passeio e zás lá se foi o pneu.

Acham isto improvável? Não achem. Há duas coisas que caminham de mãos dadas estupidez e viver acima das possibilidades.

 

Voltando ao iPhone X, grande espetáculo, grande expetativa, fuga de informação (alguém ainda acredita nesta?) e a montanha pariu um rato.

Ecrã total. A sério? Só agora? Demoraram mesmo quantos anos a desistir do botão ridículo?

 

Face ID? Gostava que alguém me esclarecesse se isto é ultrapassável com uma foto da pessoa em tamanho real, não deve ser, mas são ideias que me cruzam pela mente.

É giro, mas é realmente necessário utilizar este tipo de tecnologia num telemóvel, a impressão digital não é suficiente?!

 

“A câmara TrueDepth analisa mais de 50 movimentos musculares diferentes para refletir as suas expressões em 12 divertidos Animoji. Revele o panda, robô ou unicórnio que há em si.”

Não! Por favor não! Não precisamos de mais emojis!

Quando li a primeira vez pensei que iriam fazer do nosso rosto um emoji, estilo as brincadeiras do Snapchat, mas afinal não é só uma maneira diferente de colocarmos um emoji, só que claro com o nome diferente.

 

 

“As duas câmaras traseiras usam a estabilização ótica de imagem e as rápidas objetivas para criar fotos e vídeos deslumbrantes, mesmo com pouca luz.”

Onde é que eu já vi isto? Nos concorrentes chineses que produzem na fábrica ao lado.

 

Carregamento sem fios… Hum também já tinha sido inventado.

 

Novo IOS com novas funcionalidades, só se for mesmo para os iPhones, não vejo novidade nenhuma no geral.

 

Não vou comentar a rapidez pois só fazem a comparação e bem com o processador anterior, mas duas horas a mais em relação à bateria do o iPhone 7? Só podem estar a brincar!

Ou seja, se durar 24 h é uma sorte!

 

É bonito, mas não convence de todo.

Antes que os fãs incondicionais venham para aqui atirar pedras, neste caso escrever frases insultuosas, não, o meu sonho não é ter um iPhone, felizmente se quisesse tê-lo era só esperar que estivesse disponível e comprar e imagine-se posso pagá-lo a pronto, e acrescentar seguro e tudo.

O que me custa é ver esta febre sem qualquer pensamento crítico, sem qualquer análise, é iPhone e é novo, logo é o melhor. O poder das marcas senhores é infinito tal como a estupidez humana, especialmente para aqueles que o compram e depois usam 10% das funcionalidades.

A imaginação dos meus sonhos

Adorava ter o poder de materializar os meus sonhos em imagens ou vídeo, não imaginam as coisas mais estranhas e fantásticas que sonho.

Não sei se será assim com todas as pessoas, mas eu tenho uma imaginação muitíssimo fértil no que toca a sonhos, não só para situações insólitas, como para os cenários onde decorrem.

Sonho com locais que nunca vi, que nunca imaginei de olhos abertos, desde casas maravilhosas a cidades inteiras e até países que não existem, nalguns sonhos os locais são tão idílicos que fico na dúvida se não terei visto as imagens numa revista de viagens, esforço-me um pouco para recordar os detalhes e percebo que não, os locais só existem mesmo na minha imaginação.

 

Já me aconteceu sonhar com locais repetidos, e por inusitado que possa parecer é bom voltar a esses locais, alguns que sonhei ainda em criança, é raro acontecer, ou é pelo menos raro lembrar-me de regressar aos mesmos sonhos, mas quando acontece sinto-me feliz, pois sempre que regresso memorizo um pouco mais do cenário do sonho.

As situações que recrio às vezes são tão interessantes que mesmo depois de acordada fico a sonhar com elas, a explorar a situação, a tentar recordar o que sonhei e a imaginar a continuação do sonho.

 

Esta semana acordei de um sonho de ficção cientifica, eu e um grupo de pessoas tínhamos sido raptados por outra espécie e levados para um planeta distante para sermos testados, não consigo recordar detalhes dos testes, apenas recordo alguns espaços e caras de pessoas que nunca vi na minha vida, recordo-me apenas da última parte, estávamos a ser enviados para Terra onde a nossa família nos julgava num campo de férias e os dois meses de férias tinham sido na verdade naquela realidade dois anos, antes de nos enviarem apagaram-nos as memórias, mas a minha não foi apagada totalmente, pois um dos cientistas permitiu que ficasse com a memória dele, mas não da nossa história, acordei na Terra apaixonada por um homem sem saber como, uma sensação indiscritível.

Estávamos todos juntos a almoçar no barco que nos iria levar a casa, supostamente teríamos passado ali os dois meses, de repente uma rapariga sentiu-se mal e eu sabia que ela tinha de se recordar de uma palavra-chave para que fosse resgatada. A viagem entre planetas envolvia uma espécie de desintegração e reintegração molecular que poderia ter efeitos secundários.

Dou por mim a discutir com outro jovem sobre o que fazer e a contar-lhe que me recordava da verdade, mas que ninguém mais parecia saber onde tinha estado, depois de lhe dar alguns detalhes ele próprio teve um flash do que tinha vivido, estávamos ambos em pânico porque percebemos que a maioria de nós estava doente e os dois não tínhamos ideia do que fazer.

 

Entretanto o telemóvel despertou e eu fiquei a pensar no que poderia acontecer a seguir.

Isto é só um exemplo, poderia contar dezenas de fragmentos de histórias sem sentido, em mundos e realidades inventadas, se conseguisse materializar os meus sonhos seria tão interessante.

 

E os vossos sonhos como são? 

A 1000/h

Ultimamente parece que ando sempre a mil, sempre cansada, sempre atarefada, sempre com coisas para fazer.

Ontem percebi porquê!

Não tenho parado em casa nos últimos fins-de-semana o que significa que tudo tem de ser resolvido durante a semana e tudo é mesmo tudo, limpeza e organização da casa, tratar das roupas, fazer as compras de supermercado, visitas à família, tratar da gata, no fundo resolver as pequenas coisas da vida que às vezes são gigantes depois do horário de trabalho.

Com o acréscimo que os fins-de-semana fora implicaram fazer e desfazer malas, sacos de praia, sacos de piqueniques, toalhas e mantas para lavar e uma série de apetrechos que em vez de estarem organizados na arrecadação estão espalhados pela casa.

Ontem o Moralez queixava-se que este ano não temos aproveitado os finais de tarde e da noite para passear, bem verdade, andamos sempre ocupados.

Quando penso que tenho tudo orientado acontece um imprevisto e sai tudo da ordem, ou é ter de ir com o carro ao mecânico, não sei mas no último mês acho que o Moralez lá foi umas 8 vezes entre o combinar, deixar e levantar, ou é ter que ir fazer um favor a alguém, ou ter de ir comprar algo que nos esquecemos, na semana passada esqueci-me de comprar uma coisa tão básica como pão!

Basta alterar a rotina para em vez de jantarmos às 20h, passarmos a jantar às 21h e depois é sempre a descarrilar.

Não me acredito que vou escrever isto – Mas precisava de dois dias de férias para colocar a casa em ordem.

Ou isso ou de contratar alguém para o fazer. Quanto à roupa estou a um passo de espetar com ela na lavandaria.

O casamento do meu mano é esta sexta e tenho a casa de pernas para o ar e assim continuará pois ou trato de mim ou da casa e como sou quem vai ao casamento, lá vai a casa padecer.

 

 

P.S. A minha irmã esta a recuperar bem felizmente, só tenho receio que se abata por estar presa em pleno Verão e a minha gatinha também está bem melhor. Obrigada a todas as pessoas que se preocuparam e me deram força.