Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Parece segunda-feira

É que parece mesmo, até há disponível um novo episódio de Game of Thrones e tudo.

Cortesia do canal espanhol HBO que lançou o episódio errado na segunda-feira passada.

A boa notícia é que amanhã já é quinta e faltam apenas dois dias para o fim-de-semana.

Começo a achar que estes spoilers todos e a chantagem dos hackers é tudo para causar burburinho, tudo marketing meus senhores, tudo marketing e está a resultar já que a visualização dos últimos episódios bateu todos os recordes.

O meu conselho? Esperem mesmo pela próxima segunda-feira ou depois ficarão a ressacar quase 2 semanas pelo próximo capítulo das aventuras no Inverno.

É preciso mais coragem para ir ou para ficar?

De um lado o sonho, do outro a realidade.

De um lado o desconhecido, do outro os factos.

De um lado a ilusão, do outro a consciência.

Ficar com o que conhecemos ou partir à descoberta do desconhecido?

Ter a coragem de recomeçar de novo…

Ou ter coragem de ficar e reinventar a realidade?

Entregar a saudade à adrenalina ou despedaçar o desânimo pela proximidade?

Dar uma oportunidade à sorte ou mudar a sorte à sorte dos dias?

É preciso coragem para ir.

É preciso coragem para ficar.

Aconteça o que acontecer podemos sempre voltar.

Aconteça o que acontecer podemos sempre partir.

Não são mais corajosos os que partem, não são mais corajosos os que ficam.

São corajosos todos os que cá ou lá lutam pela vida.

Nem todos os que partem são aventureiros, nem todos os que ficam são comodistas.

Não há vencedores, não há derrotados.

Não há heróis, não há vilões.

Há os que escolhem ir, há os que escolhem ficar.

É preciso coragem para ir.

É preciso coragem para ficar.

A importância das férias no tempo certo

As férias são essenciais à nossa produtividade, para carregar baterias, para descomprimir, atenuar os efeitos do stress do dia-a-dia.

Todos deveríamos ter direito a férias, quando digo férias falo de férias a sério, daquelas em que não se faz rigorosamente nada, especialmente as mulheres, não serão todas, mas sabemos que durante o ano as mulheres são sobrecarregadas de tarefas, principalmente as domésticas e ir de férias para um apartamento ou casa a cozinhar e a lavar louça todos os dias não são férias, são um arejar da cabeça.

 

Não sou preguiçosa, pelo contrário, mas gosto de pelo menos uma vez por ano ter realmente férias, não é só ter de cozinhar o que até não me custa nada, é toda a organização e planeamento que isso envolve, pode ser giro, especialmente quando partilhado com amigos, mas há aqueles momentos em que nos apetece não ter que fazer realmente nada a não ser ocupar o tempo como bem entendemos.

 

A maioria dos portugueses tem 22 dias de férias que são mais coisa menos coisa 4 semanas completas se só guardamos dois dias para tratar de assuntos pessoais o que raramente acontece, depois há os dias impostos pelas empresas há quem só marque a véspera de Natal e a véspera de Ano de Novo, mas há outras empresas que marcam pontes e outras datas e facilmente de 4 semanas ficamos apenas com 3 semanas.

 

Há quem goste de tira-las seguidas para durarem mais, pessoalmente prefiro reparti-las pelo ano para ter vários períodos de descanso, penso que é importante proporcionarmos ao nosso corpo descansos intercalados, dessa forma evitamos ficarmos extenuados e ansiosos por aquele mês passar o ano todo à espera de um mês é desesperante.

 

Este ano mais uma vez optamos por repartir e tiramos férias bem cedo e tínhamos planeado tirar novamente este mês, não foi possível, nada de grave, não nos sentimos exaustos de um ano sem férias e até às próximas ainda teremos pelo meio um fim-de-semana prolongado para equilibrar dos dias de trabalho.

 

Do que sinto falta é da continuidade das férias, quando tiramos férias em Junho ou em Julho ficamos eufóricos e viciados nessa euforia para o resto do Verão, é como se nunca perdêssemos o ritmo das férias e isso faz com que aproveitemos todos os momentos.

Como este ano, apesar de termos feito praia, as férias foram muito antes do Verão essa euforia perdeu-se, quebrou-se o encanto, parece mesmo que as nossas férias já foram a uma eternidade, porquê? Pelo simples facto de por motivos climatéricos vimo-nos impedidos de as prolongar.

 

É por isso que gosto de tirar férias no início da época quente, ali por meados de Junho e repetir a dose em Julho, adicionamos um fim-de-semana em Agosto e ficamos com a sensação que estamos o Verão todo de férias e é tão bom.

Ficamos nós e fica toda a gente, que nos tempos em que publicava muitas fotos nas redes sociais, chegaram a perguntar-me quantos meses de férias tinha.

 

A verdade é que tenho, temos, os mesmos dias que todas as outras pessoas, mas a distribuição que fazemos dos dias e o prolongamento do espírito de férias nos dias que se seguem fazem parecer que estamos efetivamente todo o Verão de férias.

Estou a sentir falta dessa euforia este ano, pode ser psicológico como disse o Moralez, por termos adiado as férias, mas psicológico ou não, a verdade é que temos realizado menos passeios, não temos ido à praia e não temos aquela super mega boa disposição que nos é característica nesta altura.

Não é que andemos mal dispostos, raramente andamos, mas falta aquele extra bom do Verão, a euforia.

 

Já temos planos para a restaurar este fim-de-semana, espero que tome conta de nós e dure até Outubro, melhor até Novembro, já costuma durar até Outubro para compensar tem de durar até Novembro.

Euforia podes fugir, mas não te podes esconder.