Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Que rica recomendação D. Manuel Clemente

"Os católicos recasados podem “em circunstâncias excepcionais” aceder aos sacramentos, mas a Igreja não deve deixar de lhes propor “a vida em continência”, isto é, sem a prática de relações sexuais."

 

Isso é o mesmo que aconselhar os casais a viverem em continência e não se divorciarem.

 

Estava a passar os olhos nas notícias e li isto, está tudo doido!

Perfil social desde pequenino

Quando nasce um bebé os pais têm de o registar, ainda recém-nascido já tem número de identidade e número de identificação fiscal, os bebés não sabem, mas já nascem devedores de uma boa maquia.

Há alguns que mal nascem já são também sócios do clube de seus pais, quando os pais são os dois do mesmo clube a situação é pacífica, quando são de clubes diferentes pode ser motivo de divórcio, alguns acabam sócios de dois clubes antes de saberem sequer o que é uma bola.

 

“É de pequenino que se torce o pepino.”

 

Este provérbio é bem verdade, é desde pequeninos que os bebés têm de aprender, ser cidadão implica logo uma série de direitos e deveres e contribuinte também, o abono que recebem tem de ser pago por eles mais tarde, porque a verdade é que ninguém dá nada a ninguém.

É também de pequeninos que têm de aprender as regras da sociedade e a sociabilizar e por isso novos tempos exigem novos hábitos e se hoje a sociabilização é virtual, bebé que é bebé tem que estar nas redes sociais para sociabilizar.

 

Os vossos filhos têm 10 anos e ainda não tem perfil de Facebook?

Pais desnaturados, como vai o miúdo sociabilizar? Falar com os colegas? Publicar fotos? Pedir vidas para os jogos?

Ah pensavam que não dava porque o Facebook só permite criar contas a partir dos 16 anos!? Esqueçam isso o Facebook está antiquado, onde já se viu só criar perfis a partir dos 16!

Um ultraje! É de pequenino, de pequenino que se devem desenvolver as competências sociais.

Adulterem a data de nascimento e criem a conta, o Facebook não se preocupa com isso.

 

E depois como o bebé vai publicar?

Não vai, publicam vocês por ele, já fazem tanta coisa por ele, é só mais uns minutos por dia, podem filmar e fotografar as suas peripécias e publicar, é claro que terão de ser vocês a escrever as frases, que eles nem sequer falam e demorarão uns anos, meses vá, a articular uma frase como deve ser.

Também não é nada que já não façam, basta ler a quantidade de dedicatórias que bebés e crianças com menos de 6 anos escreverem nos Facebooks de suas mães ainda ontem para seus pais, uma ternura.

O João de 3 meses escreveu dois parágrafos inteiros com palavras caras e tudo dedicados a seu pai, uma delícia.

É só replicarem a ideia e criarem um Facebook inteiro para a vossa prole, que é bom que não hajam misturas desde o início, o que eles pensam é o que eles pensam, o que vocês pensam é o que vocês pensam.

 

Se já é cidadão, contribuinte e sócio de um clube, porque não pode ter perfil social virtual?

Pode e deve!

Pelo menos é o que alguns pais pensam.

Juro que fiquei uns bons 5 minutos boquiaberta ao ver um perfil de uma criança de dois anos…

Fiquei mais uns 10 minutos estupefacta quando percebi que o perfil existe desde que ele nasceu!

Mas está tudo doido? Ou é que é que de repente fiquei antiquada?

WTF # 8 – A nova moda

As pessoas continuam a surpreender-nos.

Se pensam que já foram inventadas todas as modas mais parvas de sempre:

Axilas coloridas

Rabo-de-cavalo postiço para homens

Tatuagens nos olhos

Vulvas postiças

 

Esqueçam. Há sempre mais uma moda (parvoíce) a caminho.

Eis que surge agora uma nova tendência que está a conquistar adeptas por esse instagram fora, mas não é só uma tendência virtual, é uma tendência bem real e, diria eu, permanente.

Dizem que está na moda as sardas e então o que é que as fanáticas das tendências fazem?

Tatuam sardas!

Então não se estava mesmo a ver?

Se é para ter sardas é para ter a sério e como quem tem sardas irá tê-las para toda a vida, há que ter sardas para a toda a vida, que isto das tendências é para ser levado muito a sério, que ser it girl não é para qualquer uma, exige sacrifícios e devoção, não há cá meias medidas, se é para ter sardas resolve-se a falta de sardas de uma vez só, tatuam-se sardas.

Simples.

Agora só uma dúvida?

Quando as sardam passarem de moda o que tencionam fazer?

1500 peelings até as sardas saírem?

Uma nova tatuagem para tapar as sardas?

Usarem dois kg e meio de base para taparem as sardas?

 

Já agora, se querem tatuar sardas recorram a alguém experiente e que saiba que as sardas não se distribuem uniformemente e não têm todas o mesmo tamanho. Assim parece que pegaram no lápis dos olhos e se mascararam de pipi das meia-altas e estar na moda duas vezes ao ano (Carnaval e Dia das Bruxas) não é fashion.

 

Untitled-1.jpg

8e358815dbc33b22239af8c890acf660.jpg

14272041_681964838634376_131303168_n.jpg

15099571_1845864895685202_3326126225683906560_n.jpg

16464421_1809581422627058_1849760608145113088_n.jpg

tumblr_nipfafTXWv1u2ueyyo1_1280.jpg