Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Também quero Exoneração

Exoneração será provavelmente a palavra-chave do mês de Julho, ouviremos e leremos muitas vezes esta palavra nos próximos dias.

E-xo-ne-ra-ção

  1. Libertar ou libertar-se de uma obrigação ou de um dever. = DESCARREGAR, DESOBRIGAR, EXIMIR
  2. Retirar ou retirar-se de uma função ou de um cargo. = DEMITIR, DESTITUIR


Neste texto iremos focar-nos na primeira definição - Libertar-se de uma obrigação ou de um dever.

 

Exijo exoneração sob pena de prejudicar os outros, não o Governo ou investigações, mas sob pena de prejudicar quem me rodeia.

 

Assim sendo peço exoneração das seguintes obrigações:

 

- De trabalhar à segunda-feira.

Trabalhar à segunda-feira não faz bem a ninguém, estamos muito cansados do fim-de-semana, precisamos de um dia para recuperar, só assim seremos produtivos, matam-se logo dois coelhos de uma só cajadada, deixámos de estar remelados no trabalho e aumentamos a produtividade do país.

 

- De pagar impostos

É desanimador todos os meses ver uma boa fatia do meu rendimento sair assim sem autorização para os cofres do Estado, mais desolador é ainda verificar que os meus impostos são encarados com total leviandade, é que parece que o Estado não sabe bem o que fazer com eles. A minha proposta passa por ser eu a gerir os meus impostos, prometo que não serei soberba e darei uma pequena percentagem para pagar os ordenados dos políticos, mas nada de luxos, assim tiro esse peso avassalador do das costas do Estado.

 

- De aturar pessoas parvas

Faz-me mal e faz-lhe mal a elas, por isso exonero-me de as aturar, isto funcionaria de uma forma muito simples sempre que alguém parvo tivesse a ideia peregrina de me chagar a cabeça eu diria as palavras mágicas – exonero-me de te ouvir e elas iriam à sua vidinha e seríamos todos felizes.

 

- De conduzir no trânsito

O trânsito deve ser provavelmente o motivo maior para elevar os meus níveis de stress, não deveria existir trânsito, ponto, agora que falo nisso também não deveriam existir pessoas parvas e quase que uma coisa resolvia a outra, resolvido o mistério da parvoíce, acabem com o trânsito, a parvoíce diminuirá a pique, as pessoas parvas perderiam a oportunidade de ser parvas e o trânsito seria extinto.

 

- Das tarefas domésticas

São aquelas coisas que só servem para ocupar tempo por isso exonero-me de limpar e arrumar a casa, de tratar da roupa, especialmente passar a ferro, de planear as refeições, de fazer compras. Não me importo de cozinhar desde que os ingredientes estejam todos na dispensa e que alguém me diga qual é a ementa.

 

Existiriam muito mais coisas para pedir exoneração, mas não quero abusar, estas para já seriam suficientes.

 

E vocês de que pediriam exoneração?

Sei que é segunda-feira, mas sejam criativos.

Dicas para dormir bem com o calor

Já ninguém aguenta estas noites quentes, convenhamos que são boas quando estamos de férias e podemos ficar na esplanada até às 4h da manhã a beber refrescos ou cervejas, mas quando temos de trabalhar no dia seguinte não dá muito jeito andar às voltas na cama sem conseguir dormir.

Costumo deitar-me e acordar exatamente no mesmo sítio da cama, nestes últimos dias quando acordo parece que passou por lá um tornado tal é o estado em que a roupa de cama está.

Acontece-vos o mesmo? Nada temam, tenho as melhores dicas para conseguirem dormir fresquinhos que nem alfaces, já leram outras dicas? Eu também, mas estas são melhores.

 

1 – Comprar um ar condicionado

Não me digam que nunca tinham pensado nisso? Ok, não têm disponibilidade financeira, passem para a dica número 2.

 

2 – Comprar um ar condicionado dos pobres

A ventoinha essa invenção barata que faz ventinho, só tem um problema se o quarto está quente, o vento será quente. Mas, há uma solução, basta colocarem um recipiente com gelo na frente da ventoinha e têm um AC espetacular.

 

3 – Tomar banho de água gelada

Se estiverem perto de um rio ou mar na zona norte, basta ir a banhos para ficarem gelados até aos ossos e manterem-se assim por umas horas. Não têm essa possibilidade? Encham a banheira de água fria, coloquem o máximo de cubos de gelo que conseguirem e mergulhem.

Quando estiverem a tremer ao dente, saiam e metam-se na cama, até irão buscar a mantinha ao roupeiro para aquecer.

Não, não tenham ideias, não vale a pena venderem um rim para comprarem o AC.

 

4 – Meterem-se na arca frigorífica

Se têm uma daquelas verticais enormes o vosso problema está resolvido, retirem tudo do seu interior, desliguem-na e durmam lá dentro, convém que seja com a tampa aberta e que coloquem um cobertor para o gelo não queimar. De manhã voltem a liga-la, à noite desligam e voltam lá para dentro.

 

5 – Colchão de gelo

Não, não congelem o colchão de água, quer dizer se conseguirem, força.

Esta solução que é capaz de dar algum transtorno, mas na falta da arca é uma hipótese, comprem sacos de gelo e sacos do lixo de 200L, encham os sacos com o gelo e coloquem-nos no chão, coloquem uma esteira por cima e é só dormir.

Convém estarem preparados para acordar com bastante água no chão por isso escolham uma divisão que tenha chão cerâmico.

 

Vislumbrei estas ideias fantásticas ontem à noite enquanto dava voltas e mais voltas sob mim mesma à procura de adormecer, tenho tido insónias, nem é pelo calor, que felizmente a minha casa não é quente, simplesmente não consigo adormecer.

 

Dizia-a ontem ao Moralez:

- Tenho sono, mas não tenho vontade de dormir.

Ele riu-se e disse – Isso é possível?

- É, é como quando se tem fome, mas não nos apetece comer.

 

E nas últimas noites tem sido assim, tenho sono, mas não consigo adormecer, é quase como querer muito dar um mergulho, mas não ter piscina ou mar ali ao lado.

E depois os meus neurónios, claramente fritos, lembram-se destas coisas.