Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

E então como está o aspirador?

Está de muito boa saúde, continua inteiro.

Depois da saga do aspirador que originou uma série de peripécias:

Dificuldade na escolha.

Confusão no dia da entrega.

Resposta à altura do meu MQT.

 

Finalmente a crítica ao bicho, que foi o nome que eu lhe dei, podia ter escolhido um nome melhor, como por exemplo popas, mas ficou mesmo bicho ou bichinho quando estou bem-disposta.

O modelo escolhido foi o X Trem Power Cyclonic da Rowenta:

RO6245_EA copy.jpg

Eu poderia dizer apenas isto - consigo conversar quando estou a aspirar e ficaria satisfeita, porque essa é mesmo a grande vantagem para mim, o bicho é bastante silencioso o que me para mim é importantíssimo, mas aqui fica a lista completa de prós e contras.

 

Pontos fortes:

Nível de ruído baixo, é bastante silencioso, não faz dores de cabeça.

Aspira bem todos os tipos de chão, soalho e tijoleira.

Remove bem os pelos e cabelos das carpetes, o que para mim era essencial.

É fácil de manobrar, quer as escovas, quer o aparelho.

Não tomba! Acreditem já testei e não tomba, fantástico.

Permite ajustar a altura do cano muito facilmente.

Não se sente o cheiro a pó, boa.

flexible-aspirateur-x-trem-rowenta-rs-rt3819.jpg

Tem uma pega muito ergonómica.

Possibilidade de se controlar o nível de potência de aspiração na pega.

Tem no cabo uma escova incorporada para aspirar cantos e tecidos que é muito prática.

Peso e tamanho, não sendo dos modelos mais leves é o suficiente leve e pequeno para ser fácil de arrumar.

Capacidade de aspiração, sucção muito boa.

 

Pontos fracos:

Ter de mudar de escova para aspirar tapetes e carpetes.

Limpeza do recipiente, limpar o recipiente é um processo um bocadinho nojento e minucioso.

Não poder aspirar líquidos nem vidros, com o outro podia e era muito útil.

 

Conclusão:

Estou satisfeita com a minha escolha, não foi um modelo propriamente barato, mas para já não me arrependo de ter despendido mais um pouco do que previsto inicialmente, especialmente no que toca a carpetes, este consegue apanhar todos os pelinhos e cabelos o que não é fácil com duas  gatas a perder pelo e uma a perder cabelo.

Ele é lindo sem tatus

Este movimento anda a estalar-me o verniz.

Porquê? Perguntam vocês.

Primeiro porque a maioria das senhoras envolvidas está a usar make up, ainda que discreta.

Como disse Luís Pedro Nunes no programa Irritações, da SIC:

“A mulher sem 'makeup' fica luzidia, lava a cara e fica brilhante, fica uma mulher que reluz. Que não é o que se vê ali. O que ali se vê é uma mulher que está com base, é uma mulher baseficada"

Adorei o termo baseficada!

Segundo pela base que está supostamente na origem desta música, que é desvalorizar as aparências e os artifícios que as pessoas usam para aparentarem ser uma coisa que não são.

A utilização da maquilhagem até pode estar a cair no exagero, é verdade que vemos em plena luz do dia pessoas maquilhadas como se fossem para uma gala, mas o problema não da make up, é da falta de bom senso.

Mas a falta de coerência é que não me convence, qual a diferença entre uma make up carregada e um corpo carregado de tatuagens e piercings?

Ah já sei. A make up sai com água.

 

As aparências são apenas isso, e ele que já teve ter sido criticado milhares de vezes pela sua aparência, deveria ser o primeiro a não tocar nesse assunto, mas não só faz a música, como lança um movimento, capta a atenção de celebridades e faz mesmo um site para a sua divulgação.

 

A campanha de marketing é genial, já não se pode dizer o mesmo da música, que fica muito aquém de outras músicas de Agir, mas este golpe de marketing a mim deixa-me a pensar que ele não tem direito nenhum para falar nas aparências de quem quer que seja, porque se as mulheres se sentem mais bonitas, felizes e confiantes com make up o problema é delas.

Eu acho que é ridículo alterarmos o nosso corpo perfeito com tantas tatuagens e piercings e alargadores, os alargadores só me fazem lembrar rituais tribais, compreendo que cada um faz o que bem entende com o corpo, mas há realmente alguém que considere aquilo bonito?

 

Ele é lindo sem tatus

Ele é perfeito e quando se deita não precisa de tatus

Ele é lindo é, ele é lindo, lindo sem tatus

 

Anh, A.G.I.R. got it, got it

Yeaah yeaah

 

Sem piercings, sem, sem alargadores, ele foi abençoado, yeah

Com o olhar, com o dom de escrever lindas canções

 

E ele não precisa de se tatuar para provar

Que ele não precisa, p’ra quê inventar se ele é

 

Ele é lindo sem tatus

Ele é perfeito e quando se deita não precisa de tatus

Lindo por dentro como é por fora

E se ele não notar então vou dizer-lhe que mesmo quando acorda

Ele é lindo sem tatus

Ele é lindo é, ela é lindo, lindo sem tatus

 

Anh, ele quer ser diferente

Por isso tatua o corpo e põe piercings para melhorar

Mas melhorar o quê ele já é perfeito

Eu gosto dele de qualquer maneira

Muitas vezes ele acha-se feio

Pode ser que um dia ele veja que ele…

 

Não precisa de se tatuar para provar

Que ele não precisa, p’ra quê inventar se ele é

 

Ele bem quer tentar, só que ele não precisa de mais nada, não

Então para quê mudar, se ele

Got it!

 

(Não tenho nada contra pessoas que têm tatuagens, piercings, alargadores, nem contra quem usa make up, não gosto de exageros, como em tudo é uma questão de bom senso.)