Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Quando os dois têm um blog #2

Como já sabem às vezes as conversas lá em casa giram à volta dos blogs, o que vocês não sabem é que o Moralez se vê aflito comigo porque eu sou uma desnorteada com pouca memória para nomes.

Eu lembro-me bem das pessoas, raramente me esqueço de um rosto, tenho excelente memória visual, mas os bloggers raramente têm fotos do seu rosto, têm avatares ou fotos de tudo e mais alguma coisa e vão mudando as fotos também.

Como os avatares vão mudando uso a minha memória visual para me fixar no design do blog e é aqui que a coisa complica, porque desde a mudarem o design do blog a existirem muitos, demasiados blogs com o mesmo design, tipo de letra e cores similares é uma confusão nesta minha cabeça.

Então é frequente este tipo de conversa:

 

Moralez – Viste o post da vizinha X?

Eu – Vi, falava de arroz.

Moralez – Não estou a falar desse, esse não vi, estou a falar do blog YZ que fala de massa.

Eu - Massa? Ela hoje não escreveu sobre isso.

Moralez – Então não escreveu? Escreveu, escreveu que eu li.

Eu – A Vizinha X tem o blog XPTO.

Moralez – Não é essa é a Vizinha Y.

 

Por isso meus caros vizinhos se eu trocar comentários, vos trocar os filhos, os problemas, as manias e as brincadeiras não se admirem que eu sou uma distraía de primeira e troco-me toda, não é por mal.

Já agora se quiserem ajudar podem sempre colocar nos vossos blogs claros sinais identificativos como cores berrantes, fundos coloridos tipo cortinado, tipos de letras estranhos ou então uns headers malucos e uns avatares marados. Sintam-se à vontade para dar asas à vossa criatividade se quiserem sugestões eu ajudo, não sei se irão gostar muito delas, mas isso já são outros 500.

 

Os nomes X, Y, YZ, XTPO e os assuntos arroz e massa são apenas a título de exemplo.

 

 

Psíquices #3 - O hálito dos outros

Fujo do mau hálito como o diabo foge da cruz!

 

Tenho um olfato muito apurado e por isso normalmente sou sempre a primeira a sentir os cheiros quer sejam bons ou maus, sentir os bons é só vantagens, quanto aos maus é um pavor.

O maior terror que me assola são os maus hálitos, consigo cheira-los à distância e não os consigo tolerar, conclusão: afasto-me lentamente das pessoas, mas isso nem sempre é possível.

Cenário:

Estou a explicar uns dados a um cliente com um hálito terrível, uma mistura de podre com matéria infeciosa, afasto-me cada vez mais dele, quanto mais eu me afasto mais ele se aproxima, coloco-me lateralmente para não levar com o bafo e ele teima em colocar-se frente a frente.

Tento explicar-lhe tudo rapidamente, mas ele não entende, tenho de explicar três vezes a mesma coisa e ele repete o que digo umas três vezes depois, e mesmo após ter percebido ainda acha por bem recapitular tudo no final.

Saio da reunião enjoada até aos cabelos e a cheirar sofregamente o meu lenço, mas não há inalação suficiente de perfume que apague o cenário de terror.

E fazer tudo isto a sorrir?

Tenho verdadeiro talento para a representação.

 

Obrigada cara anónima

Queria agradecer do fundo do coração à anónima, que afinal quase toda a gente conhece, pelo seu comentário hilariante no meu post, agora sinto-me uma blogger de elevado calibre, pois não é para todos ter a hater mais hater a destilar veneno no seu blog.

 

comentario anonima 1 (2).jpg

No próprio dia respondi-lhe rapidamente que aquele post não era para ela e não é certo roubar o protagonismo aos outros.

 

resposta1.jpg

 

Mas agora acho que a anónima merece o destaque que procurava com uma resposta mais detalhada.

Ainda bem que sabe que eu sou rica, sou uma rica pessoa e uma pessoa rica em muitos aspetos.

Como lhe disse não tenho “tomates” que assumi pela sua linguagem que seriam testículos, tenho ovários e são de ferro, estão no sítio certo e simbolizam perfeitamente a coragem que tenho.

Fico contente que haja mais gente que tenha a língua afiada, mas é uma pena que confunda língua afiada com língua mal-educada, escrevi um post sobre umas as linhas ténues que separam a liberdade de expressão de ataques pessoais entre outras coisas, penso que o deveria ler.

Normalmente tenho as costas quentes porque não tenho por hábito andar com roupa desadequada às condições climatéricas. Ainda bem que ter as costas quentinhas e confortáveis não a assusta, já que é uma coisa habitual a todas as pessoas.

Não, o post não era para si, porque nunca tinha tido o desprazer de a conhecer.

Não se importa com visitas e comentários, acho que faz muito bem, mas já agora permita-me que lhe explique algo, os comentários aumentam as visitas, mas não aumentam os visitantes e numa ótica comercial o que conta são os visitantes únicos e não os repetidos, se nos importássemos muito com isso não perderíamos tempo a responder uns aos outros.

Lamento que tenha sido vítima de plágio, são coisas que acontecem, mas não sei se sabe que Marias há muitas e palavras carinhosas não são passiveis de patentear.

É mais velha que eu, mas sabe quando eu andava de chucha o acesso à Internet não era democrático e não existiam blogs (biloges), estes apareceram na década de 90, altura em que eu já sabia conhecia bem a Internet, neste caso a idade que leva de avanço não lhe dá qualquer adianto, pelo contrário.

Eu sei que posso trocar os emails que quiser de dia ou de noite, a conta é minha faço dela o que quiser, não preciso da sua autorização.

Não sou gaja, nunca fui nem pretendo ser, sou uma mulher e sou forte até quebrar como todas as outras, assim como as minhas caríssimas vizinhas do blog.

Lamento informa-la que não é suficiente gostar e reclamar respeito é preciso merece-lo ao fazer-se respeitar, se quer respeito deve moderar as palavras e tentar ser pelo menos educada.

O Sapo está a perder bloggers? A sério? Uns vão, outros aparecem, é assim em todo lado, não deteto nenhuma ameaça para o Sapo Blogs, pelo contrário todos os dias vejo novos blogs a aparecer.

Não temos importância para quem não nos “liga nenhuma”, não poderia ser de outra forma só temos importância para quem nos conhece e para quem gosta e simpatiza connosco. Não tenho intenções de ser importante para quem não me “liga nenhuma” não sou nem nunca fui masoquista, nem nunca mendiguei atenção.

Diz-se mais honesta que eu, tenho de discordar consigo, não tem como saber se é verdade ou não, não me conhece.

O meu maridinho não é polícia ou advogado nem faz parte de nenhuma identidade a quem se possa apresentar uma queixa, tenho alguns amigos polícias e advogados mas acho que um comentário anónimo e inofensivo não merece entupir os tribunais, que já têm mais trabalho do que o desejado, por isso pode sossegar que não irei apresentar queixa.

O quintal ou curral como lhe chama não é perfeito, mas só faz parte dele quem quer, se não gosta do que lê e do que vê tem toda a liberdade para ir passear os olhinhos noutros locais dessa vastidão que é a Internet, não se sinta pressionada a ficar, aliás sinta-se perfeitamente à vontade de ir à sua vida e para esquecer este e outros endereços.

Vergonha é uma pessoa da sua idade, tem idade para ser minha mãe, esconder-se atrás de um comentário anónimo, destilar veneno e má educação a pessoas que não conhece e que nunca lhe fizeram mal nenhum.

Eu calar-me-ei ou pararei de escrever quando me apetecer, pois felizmente não tem, nem nunca terá qualquer autoridade sobre mim.

E agora que já teve os seus 5m de fama faça um favor a si própria e deixe de se ridicularizar.

Tenha uma boa vida, se conseguir.

Beijinhos.