Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Falta de ética, falta de maturidade e falta de exigência.

Os portugueses resumem-se a isto falta de ética, falta de maturidade e falta de exigência.

É raro ver alguém com a clarividência de Nuno Garoupa, que de uma forma simples, clara e inequívoca não só dá conta dos principais problemas do país como ainda apresenta soluções.

Todos os portugueses deveriam perder dez minutos ou vinte, para terem tempo de processar toda a informação, a ler esta entrevista.

 

Sintetizando os portugueses são pouco exigentes, têm pouca ética, são imaturos e resolvem os problemas com acusações de parte a parte, a culpa morre sempre só em Portugal e quando excecionalmente se culpa alguém, culpa-se apenas uma pessoa porque os outros não viram, não sabem e nem querem saber.

E nós enquanto povo assistimos passivamente este país a definhar, se é que poderemos dizer que definha, porque para definhar é preciso viver e este país já não está vivo desde a época dos Descobrimentos.

 

Façam este exercício:

- Quantas pessoas conhecem que não tentaram ludibriar alguma situação? Seja cometer uma fraude, seja passar à frente numa fila?

- Quantas pessoas conhecem que assumem prontamente os erros sem tentar culpar terceiros ou sem arranjar desculpas por mais parvas que pareçam?

- Quantas pessoas conhecem que têm a hombridade de se manterem íntegras quando uma ilegalidade lucrativa lhes é presenteada?

- Quantas pessoas conhecem que nunca tentaram dar a volta a algum sistema instituído?

- Quantas pessoas conhecem que nunca tenham cometido uma ilegalidade?

- Quantas pessoas conhecem que não tenham quebrado regras?

- Quantas pessoas conhecem que se dão como culpadas voluntariamente de alguma situação?

 

Somos um povo imaturo, enganador, dissimulado, com ética e moral desalinhadas, sem honra, brio, seriedade, coerência.

Falta-nos dignidade para exigir o que quer que seja e a verdade é que não somos exigentes.

Reclamamos quando isso significa pouco esforço, um desabafo no Facebook, uma conversa no café, um texto num blog, nada que nos dê muito trabalho.

Os cães ladram e a caravana passa e é vê-la passar enquanto assistimos aos jogos de futebol, aos reality shows, às novelas, aos filmes e às séries.

Enquanto nos sentamos nas esplanadas a beber cerveja e a comer amendoins ou tremoços, ou a beber gin que é mais chique e a petiscar pimentos padrón.

 

Votar hoje não que é Domingo e está bom tempo. Quem se lembrou de ir a votos logo hoje?

Votar hoje não que é Domingo e está a chover. Quem se lembrou de ir a votos logo hoje?

São todos iguais, nem vale a pena votar!

 

São todos iguais realmente, são todos iguais ao povo que os elege e ao que os deixa eleger.

Não se enganem os políticos são o reflexo da nossa sociedade e enquanto a sociedade não mudar eles continuarão a ser fiéis à sociedade que os produz.

 

Estou irritada

Basicamente andei irritada a semana toda, quem me lê já deve ter notado que os últimos posts têm sido em tom de contestação.

Com tanta parvoíce a acontecer por este mundo é quase impossível não estar constantemente indignada com alguma coisa, houve de tudo nesta última semana e digo-vos que estar a par das notícias em nada abona para a cura desta minha condição.

Mas há muito tempo que não me irritava com os blogs, mas hoje assim de uma assentada irritei-me com duas coisas, a primeira uma estupidez pura abster-me de comentar um post com o qual concordo porque não gosto do autor, mas não gosto do alinhamento do blog, da maioria dos textos por isso posso até ler alguns textos na loucura, mas comentar está fora de questão, não quero misturas, estou como os amarelos.

Outra é que uma pessoa até se esforça por escrever qualquer coisa inteligente, com fundamento, doura a pérola, dá uma opinião pessoal, dá contexto para que os textos do blog não sejam cópias de notícias.

E o que acontece? Injustiças.

Vocês sabem do que estou a falar se não sabem deixem para lá que daqui a pouco é fim-de-semana e a neura passa-me, ou não que isto é patológico.

Jorge Jesus o pior comentador de sempre

Já todos sabíamos que colocar Jorge Jesus a comentar um jogo da Seleção Nacional era colocar os portugueses com mais atenção às gafes do treinador do que ao jogo.

Foram várias as pérolas deixadas por Jorge Jesus mas destaco as duas que mais gostei.

 

“Reparem como os dois posicionamentos se posicionam na seleção inglesa”

Adoro pleonasmos e o reforço de uma ideia, acho mesmo que é essencial frisar a importância das coisas importantes, reparem como é importante a importância dos posicionamentos que se posicionam, o que é importante é estejam posicionados, como se posicionam não interessa nada, ou queriam agora que eles vos explicasse o abc da sua genialidade em posicionamentos? Isso é um segredo que vale milhões mas que não ganha campeonatos.

 

“O único campeonato da Europa que tá em andamento, é o campeonato brasileiro.”

Um erro perfeitamente legítimo, com tantos jogadores brasileiros a jogar na Europa é perfeitamente normal achar-se que o Brasil é um país da Europa.

A área de especialidade de Jorge Jesus é futebol não é geografia mundial.

E já dizia o outro que era o melhor do mundo e quiçá o melhor da Europa, um erro comum no mundo futebolístico

Mas é um erro imperdoável um treinador pensar que se esta em preparação para um campeonato da Europa e achar que é possível ainda estar a decorrer um campeonato nacional em algum país europeu.

Jorge Jesus estás a falhar, podes não perceber nada de geografia e não saberes distinguir a Europa da América como os concorrentes da Casa dos Segredos, mas como profissional da bola devias saber que os Campeonatos Europeus só começam depois de todas as competições europeias de futebol estarem terminadas!

Até uma criança de 6 anos sabe isso.

 

A prova que é um erro contrata-lo para comentar?

Já li as gafes dele, mas ainda não li nada sobre o resultado do jogo.

 

Espero que ninguém tenha a ideia peregrina de o colocar a comentar jogos do Europeu porque eu gosto de ver os jogos com som.