Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Paga-se para ter sol, quem o diz é o Governo.

A situação deste país é tão caótica, que mesmo de férias num destino paradisíaco, falávamos com dois outros casais portugueses que a carga de impostos em Portugal é terrível, apesar do assunto sério estávamos de férias e a certa altura o Moralez diz para desanuviar o ar:

- Vamos aproveitar para apanhar sol enquanto é grátis, nunca se sabe quando será taxado.

Todos rimos e anuímos que qualquer dia em Portugal ainda taxavam o sol.

 

Estávamos longe de pensar que duas semanas depois estaríamos a jantar e iriamos ouvir que as regras para o cálculo do pagamento do IMI iriam mudar e que passariam a incorporar a exposição solar nos critérios, quanto maior e melhor exposição solar, mais alta é a taxa, como se não bastasse também vão taxar a vista, que se for privilegiada irá fazer também subir a taxa.

A exposição solar calcula-se com a orientação da casa, suponho que levarão em conta se estará ou não na sombra de outras casas, é que não adianta muito ter uma casa virada a nascente se tiver um prédio a fazer-lhe sombra. As janelas também deveriam ser levadas em conta, é que não adianta muito ter sol se não há janelas para ele entrar, é só uma ideia.

Mas a vista privilegiada é que levanta questão pertinentes, será que vão taxar os apartamentos que os voyeuristas escolhem para espiar os vizinhos do prédio da frente?

É que isto de vistas privilegiadas tem muito que se lhe diga, há muita gente que não gosta de olhar para a floresta ou para o mar, convenhamos que a floresta atrai toda a espécie de bicharada não desejada e viver junto ao mar no Inverno pode ser assustador em dias de trovoada, deveria existir uma espécie de compensação para quem tem de levar com os bichos e com o ruído e os clarões.

Estas novas regras irão fazer a população regressar à cidade, já que pagando-se mais por exposição solar e uma vista desafogada e menos em casas sem sol e sem vista, mais vale regressar à selva de prédios, já que a diferença de IMI que pode chegar aos 20% acrescido das despesas das viagens para o emprego na cidade, contas feitas compensará viver na cidade, é que o IMI é uma coisa que se paga para toda a vida e há que pensar a longo prazo.

Uma coisa é certa não me recordo de nenhum Governo tão criativo no aumento dos impostos, primeiro foi o aumento da taxa nos combustíveis que aproveitou a descida dos preços base, pensaram: “Os portugueses já estão habituados a pagar este valor, aumentamos o imposto e eles nem sentem na carteira.”

A promessa é retirar se o preço aumentar, a questão é que os políticos raramente cumprem promessas.

Como os impostos continuam a não ser suficientes, algum iluminado durante um fim-de-semana enquanto apanha banhos de sol na casa de férias com piscina do amigo daquele amigo que lhe deve uns favores deve ter olhado para o céu e pensou – “E se taxássemos o sol?” Não podiam proibir as pessoas de apanhar sol então taxaram as casas com mais sol, simples.

 

E a história continua a mesma - o povo a pagar pelos erros dos outros, estou cansada da gestão deste país.

Nem o sol nasce para todos.

Porque é melhor tirar férias em Julho

A maior parte dos meus familiares, amigos e conhecidos tiram férias em Agosto, especialmente na última quinzena, eu por questões laborais tenho de tirar férias fora desse período e todos os anos temos de aturar as bocas dos outros, isto é uma moda bem portuguesa, ter sempre o que dizer em todas as ocasiões, caindo sempre nos lugares comuns e muitas vezes no ridículo, quem nunca o fez que atire a primeira pedra, mas o que é demais é exagero e moléstia e enjoa, levar todos os anos com a mesma lengalenga já começa a dar voltas ao estômago.

 

O simpático deprimido:

- Já foste de férias que sorte, eu ainda tenho de esperar mais 2/3/4 semanas, nunca mais chegam.

- E eu tenho de esperar um ano!

O invejoso:

- Não estás muito morena! O tempo não estava bom?

- Não sabes que demasiado sol faz cancro e envelhece!

O espertalhão:

- A comida era boa? Vens bem nutrida.

- Era, ainda estou inchada dos mojitos, mais uma semana e volto ao normal, mas o ar saudável é do bronze.

O chico-esperto:

- Foste de férias mas agora sou a eu a causar-te inveja, vou colocar muitas fotos para veres o que é bom.

- Eu vou de férias outra vez em Setembro, ainda temos uns dias. (Mesmo que não seja verdade.)

O ressacado:

- Foste agora eu gosto de ir depois de toda a gente para ser o último a rir.

- Acho que devias adiar eternamente as férias para seres sempre o último, já que em todos os meses existe alguém de férias.

 

Se há coisa que as férias não me dão é paciência, acho que já escrevi isso algures.

 

Para mim tirar férias em Julho só tem vantagens:

- O tempo, por norma, é mais estável em Julho do que em Agosto.

- Os dias são maiores em Julho, em Agosto começa a anoitecer muito cedo.

- Em Agosto é tudo mais caro, quer em Portugal, quer no exterior.

- Todos os locais turísticos estão cheios de gente, é impossível colocar uma toalha na praia sem ficar colado a alguém que não conhecemos de lado nenhum e que fica com o nariz a 30cm da nossa celulite.

- Depois das férias ficamos com mais disposição para tudo e tirando férias em Julho temos ainda os fins-de-semana de Agosto e Setembro para aproveitar o Verão.

 

Há quem prefira concentrar as férias numa época e ficar mais tempo contínuo de férias, eu tento sempre distribuir as férias ao longo do ano tirando o período maior de duas semanas no Verão.

O esquema é simples, o final do ano é uma época que tem muitos feriados e acaba por dar para descansar e relaxar em família, Janeiro é um mês motivador e de planos e por isso não custa nada, logo depois temos o Carnaval e a Páscoa, perto da Páscoa tento sempre tirar uns dias para descansar, com sorte até podemos conjugar dias de férias com os feriados das festividades ou de Abril ou Maio, em Junho chega o calor com vários feriados, Julho é um mês quente com 31 de dias que não tem um único feriado e eu já estou a suspirar por férias por isso é o meu mês de eleição para as gozar, Agosto tem o feriado de dia 15 (novamente felizmente), costumo guardar uns dias para Setembro e depois de Setembro é sempre a correr até ao Natal com feriados novamente em Outubro, Novembro e Dezembro, o último trimestre do ano passa sempre a voar. Com esta organização são poucos os meses em que não tenho uma paragem.

Respeito quem goste de concentrar tudo em Agosto, mas depois não me venham dizer desdenhosos que parece que passo o ano inteiro de férias.

O rescaldo das férias

As férias não foram muito diferentes do que previ, tirando obviamente a parte de escrever um romance, não escrevi, mas li que era o objetivo, guardo sempre para as férias um livro com muitas páginas, daqueles que demoram a ler para se estender para os dias todos.

Muito sol, muita praia, até o bom tempo esperou por mim em Portugal, e por isso foi só manter o ritmo.

Tal como previ a dieta não resistiu, afinal foram duas semanas de férias e férias são férias e são férias de todas as obrigações.

Souberam pela vida estas duas semanas de descanso, lazer, onde reinou a descontração e a descomplicação, calções, chinelos e tops frescos, sem make up, cabelos penteados ao estilo praia, uma verdadeira maravilha.

Desculpem a ausência, mas férias são férias e tirei férias da Internet, nestes dias não houve blog, facebook ou instagram, foi uma verdadeira desintoxicação de redes sociais.

Muitos assuntos mereceriam a atenção do blog nas últimas semanas, vi-a as notícias e lembrava-me sempre do que escreveria sobre o tema e de como seria bom trocar impressões com vocês, mas acabava sempre por não arranjar tempo para escrever, outras prioridades falaram mais alto.

A verdade é que já estava com saudades deste cantinho por isso contem com a minha presença regular, não prometo uma presença diária, mas regular.

Estou de volta e se partir é bom, regressar tem um sabor especial.

Pág. 8/8