Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

A solução para o fuso horário português.

A minha primeira reação ao possível fim da mudança de hora foi - Se quiserem acabar com um horário que acabem com o de Inverno!

É traumatizante sair do trabalho de noite durante meses, com aquela sensação que o dia terminou e foi preenchido apenas por trabalho, as horas de lazer não rendem, é deprimente.

Entendo que devemos acordar com luz do dia, isso faz com que despertemos mais rapidamente, o nosso organismo reage à luz solar como sendo hora de acordar, o que me leva a pensar – se tivermos o horário de Inverno sempre, em Junho despertaremos a que horas? Às 5h da manhã.

 

Nos meses em que o sol nasce mais tarde em Portugal nasce às 7:55h pelo que se mudássemos para o horário de Verão nasceria às 8:55h o que levaria a que entrássemos no trabalho ao raiar do dia, neste ponto levanta-se um problema, que é o das escolas que iniciam mais cedo o que implicaria deixar as crianças na escola ainda de noite.

A mudança de horário a longo prazo tem efeitos na saúde, pessoalmente odeio, ando pelo menos uma semana em que a adaptação me custa horrores, fico de mau-humor e stressada.

O ideal seria encontrar ali um compromisso a meio um horário a meio dos dois, como isso não é possível, temos mesmo de escolher uma hora certa e não meias horas, proponho algo mais auspicioso e que resolveria não só o problema do horário, mas muitos problemas da economia portuguesa.

 

A solução passa por 7horas de trabalho para todos!

 

Idealmente seriam 6h corridas, porque é que acham que os países nórdicos mesmo sem sol são mais felizes!? Mas não queremos abusar. Uma jornada de trabalho mais curta permitiria sair de dia no horário de Inverno e mesmo sem alteração para o horário de Verão ter ainda muitas horas com luz do sol para lazer.

Como bónus resolveríamos muitos outros problemas do país:

- A começar pelo aumento de salários, que não sendo efetivo seria um aumento de valor/hora, valorizando mais o trabalho e o trabalhador.

 

- Diminuiríamos a taxa de desemprego, empresas a trabalharem menos horas teriam a necessidade de contratar mais trabalhadores para terem a mesma capacidade produtiva.

 

- Aumento do consumo interno, o que é que as pessoas fazem nos tempos livres? Gastam dinheiro, seja num lanche ou um copo ao final da tarde, a fazer uma aula no ginásio, no supermercado, mais tempo livre é sinónimo de maior consumo.

 

- Aumento da natalidade, mais tempo livre, mais qualidade de vida, mais disposição e mais bebés, porque para fazer e ter bebés é preciso tempo e disponibilidade, nem sempre é uma questão monetária, é muitas vezes uma questão de disponibilidade para cuidar.

 

- Diminuição da obesidade, acabar-se-iam as desculpas para faltar ao ginásio, para não dar aquela corrida ou caminhada ao final do dia, as pessoas teriam muito mais tempo para cuidar de si.

 

- Diminuição dos custos de saúde, um peso mais saudável só por si já implicaria a prevenção de muitas doenças, mas a felicidade é uma vitamina essencial para a nossa saúde, a percentagem de depressões e o consumo de antidepressivos e ansiolíticos diminuiria, assim como a comparticipação do Estado na sua compra, além disso com mais tempo as pessoas provavelmente iriam mais rapidamente ao médico o que levaria a uma resposta rápida a diversas doenças e até um aumento na prevenção de outras. Acrescento ainda que provavelmente deixaríamos de tomar suplementos de vitamina D, já que teríamos mais tempo para estar ao sol.

 

- Aumento da produtividade, pessoas com mais tempo para si são mais felizes, são mais produtivas, não é novidade, há quem teime em achar que pressão, má-educação, rigidez e inflexibilidade são a melhor fórmula para incentivar (explorar) trabalhadores, mas é precisamente o contrário que motiva um trabalhador e um trabalhar motivado e dedicado vale por três desmotivados.

 

Como podem ver são só vantagens nesta proposta, espero que o Sr. Primeiro-ministro António Costa que gosta tanto de medidas que agradem às maiorias leia este blog e que use esta ideia, nem precisa de pagar direitos de autor, tenho a certeza que os restantes partidos da Geringonça apoiariam a 100% a medida e assim não só conseguiria ganhar as próximas eleições com maioria absoluta como ainda conseguiria aprovar já o orçamento de Estado para o próximo ano.

 

Só vantagens Sr. Primeiro-ministro, pense com carinho no tema, tenho a certeza que o Sr. Presidente da República, o presidente dos afetos ficaria muito contente com mais portugueses felizes para tirar selfies e com mais bochechinhas para apertar.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 11.07.2018 14:06

    Sabes que isso é um mito urbano.
    "Na Europa, segundo o relatório da OMS os 15 países com maiores taxas de suicídio são, por ordem: a Lituânia, o Cazaquistão, a Bielorrússia, a Polónia, a Letónia, a Húngria, a Eslovénia, a Bélgica, a Ucrânia, a Rússia, a Estónia, a Croácia, a Sérvia, a França e a Áustria."
    "No relatório da OMS, Portugal surge na vigésima terceira posição dos países do continente europeu, com 13,6 suicídios por 100 mil habitantes."
    E os dados em Portugal segundo li estão falseados porque os familiares pedem para que não conste essa causa na certidão de óbito.

    Eu gostava mesmo de ter mais uma hora para mim.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.