Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Big Litle Lies – A série de 2017

big-little-lies-review-1140x570.jpg

 

A série ou mini-série é tão boa que tem duas atrizes nomeadas para o globo de melhor atriz principal e duas atrizes nomeadas para melhor atriz secundária, e posso dizer-vos que é muito difícil dizer quem merece levar o globo para casa.
A série baseada no romance com o mesmo nome de Liane Moriarty, criada e escrita por David E. Kelley relata ao longo de sete episódios a vida de cinco mulheres numa cidade maravilhosa onde a vida parece igualmente maravilhosa, mas à medida que a série se desenrola os segredos, os problemas vão sendo desvendados.


A série é altamente viciante, não só pela história mas pelas fantásticas interpretações, com um elenco de luxo, surpreendemo-nos a cada momento quando percebemos que até as personagens com menos relevância são protagonizadas por atrizes e atores reconhecidos.
No ecrã juntam-se Reese Witherspoon como Madeline Martha Mackenzie, Nicole Kidman como Celeste Wright, Shailene Woodley como Jane Chapman, Alexander Skarsgård como Perry Wright, marido da Celeste, Adam Scott como Ed Mackenzie, marido da Madeline, Zoë Kravitz como Bonnie Carlson, a segunda esposa do Nathan James Tupper como Nathan Carlson, ex-marido de Madeline, Jeffrey Nordling como Gordon Klein, marido da Renata e Laura Dern como Renata Klein.
Reese Witherspoon e Nicole Kidman estão nomeadas para melhor atriz principal, Shailene Woodley e Laura Dern nomeadas para melhor atriz secundária e Alexander Skarsgårdna para melhor ator secundário na categoria de mini-série, estando Big Liitle Lies nomeada também para melhor mini-série, somando 6 nomeações.

Destaque para Darby Camp como Chloe Mackenzie a sua performance não fica nada a dever a Reese Witherspoon sua mãe na série e a dinâmica entre as duas personagens é deliciosa.


Não falarei sobre a história, é uma série para ver sem ler spoilers, lá em casa previmos a maioria das situações, mas mesmo assim não descolamos do ecrã e basicamente devoramos os sete episódios.
Aconselho vivamente enquanto esperam pelos próximos capítulos de This Is Us e The Walking Dead, não se deixem iludir com as primeiras imagens, é uma série dramática e com contornos trágicos, um retrato da sociedade e dos seus problemas, explora a dinâmica familiar e escolar e prende-nos entre um misto de revolta, compaixão e admiração.


O bónus?

Uma banda sonora incrível, para mim a melhor de 2017 que para além dos covers que mostrei aqui  tem uma música no genérico tão viciante quanto a série e que só conheci pela série.

 

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 14.12.2017 14:52

    Também não acertei em tudo, acertei quem era o decorador logo no momento em que ela fala dele e quem era a criança, desconfiei quem estava no fim nas escadas, mas era difícil saber como lá parou.
    Acho que consegui explicar sem spoilers :)
  • Imagem de perfil

    Drama Queen 14.12.2017 15:53

    Quem estava nas escadas sim até porque no primeiro episódio vês quem está naquele local fiquei surpreendida pela pela actual também estar lá, estava a espera de todas menos dela por causa das relações que todas tinham.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 14.12.2017 16:21

    Foi precisamente essa a grande surpresa, tudo o resto era mais ou menos previsível, mas mesmo tendo percebido adorei a série.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.