Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Cães de Fila

Há um tipo de pessoa, correção, pessoazinha, pequenina e mesquinha que parece um cão de fila, daqueles cães feios, desgrenhados com os dentes à mostra num sorriso postiço e cerrado.

Sempre à escuta, sempre à procura de uma presa para tentar morder.

Não perdem uma oportunidade de ataque seja uma presa importante ou não, o que interessa é atacar, com motivo, sem motivo, por cobiça ou por desporto desde que estejam à caça estão felizes na sua morbidez sórdida.

Atacam para se distraírem das suas frustrações, dos objetivos que não conseguem alcançar, da sua vida sem sentido. Perdessem eles esse tempo a dar sentido à vida seriam tão mais felizes.

Os cães de fila, tal como outros tipos de pessoas que têm um íntimo maldoso, são miseravelmente infelizes e atacam na esperança de disseminarem a infelicidade.

Quem vive a escrutinar os outros e a desejar a sua infelicidade não pode de todo ser feliz, acumulam demasiada energia negativa e não há inteligência, dinheiro, posição ou posto que os console, serão sempre uns insatisfeitos errantes de dentes serrados na esperança que alguém lhe sorria abertamente.

São os cães que alimentamos de restos, que mantemos ali por pena, afinal todos têm direito à vida.

Iludidos ainda não perceberam que a sua felicidade depende de si e não da infelicidade dos outros, que os seus feitos não se medem pelo fracasso dos outros, que a sua inteligência não se enaltece a realçar a ignorância dos demais.

Medir-se e vangloriar-se pelos erros dos outros não é só mau, é estúpido e contraproducente, pois só gera mais frustração.

Quão frustrante deve ser ter de rebaixar todos os que os rodeiam para poder brilhar por uns instantes para logo depois regressar à escuridão tenebrosa da sua alma.

O que sinto por estas pessoas? Gostaria de não sentir nada, mas sinto pena e às vezes esperança, uma esperança parva de que com carinho e compreensão elas possam sair da sua prisão escura.

O que a vida me tem ensinado? Não há luz que lhes ilumine o espírito, serão sempre assim, superiores aos seus olhos e umas pobres coitadas aos olhos dos outros.

Vida triste a dos cães de fila.

 

(Cão de fila é empregue aqui como expressão e não tem qualquer relação com a raça Cão de Fila de São Miguel)

 

7 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 29.09.2016 12:29

    É verdade Mula, atacam mesmo indiscriminadamente, aproveitando a temática:
    É cão que não conhece o dono!
    Quando se é adulto e não se é assim já não seremos pelo menos voluntariamente.
    Porque não se trata de um comportamento esporádico, estes cães de fila são assim todos os dias e só não atacam todos os dias se não tiverem presas.
  • Imagem de perfil

    Mula 29.09.2016 12:34

    Ah.... Então estou safa! ^_^
    Acabei de fazer parte de um estudo para uma cena de saúde mental que vieram agora à loja recorrer. E olha acho que passei no teste por isso... sim, acho que estou safa. ahahahahahah
  • Imagem de perfil

    Psicogata 29.09.2016 12:37

    Acho que sim e ainda bem.
    Algum dia poderias ser assim? Nunca, não faz parte de ti e ainda bem :)
  • Imagem de perfil

    Mula 29.09.2016 12:46

    Não faz não! ^_^
    Eu só fico louca com comida,só faço as maiores barbaridades e loucuras por comida! Sou no fundo também um cão!... Mas um pastor alemão, daqueles que não podem ver arroz de frango! ahahahahahahahahahhahahaha
  • Imagem de perfil

    Psicogata 29.09.2016 12:47


    Só tu Mula!
    Ou seja quando quiser alguma coisa de ti compro-te com comida :)
  • Imagem de perfil

    Mula 29.09.2016 12:49

    ahahahhahahahah e que dependendo do que me tragas, até dou turras e abano a cauda! ahahahahahahahahahhahahaha

    [mas so por seres tu ^_^]
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.