Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Cidadão ou Cidadania? Masculino ou feminino?

O Bloco de Esquerda apresentou projeto no parlamento para alterar nome do Cartão de Cidadão para Cartão de Cidadania.

Segundo os mesmos o atual nome – Cidadão, não respeita a igualdade do género porque refere-se, segundo eles, só a homens.

Eu acho que eles deveriam ir mais longe e abolir o feminino e o masculino de todas as palavras, reformular toda a língua portuguesa e não haveriam mais descriminações.

Já agora aproveitem e eliminem o novo acordo ortográfico também.

 

Eu quanto a vocês não sei, mas a mim sempre me ensinaram que quando nos estamos a referir a um conjunto ou a algo geral devemos usar a palavra no masculino.

É verdade que existem algumas palavras que não têm definição de género mas o género acaba por ser definido pelos pronomes que as antecedem.

Dizemos utente, palavra sem género, mas quando usamos a palavra na generalidade usamos sempre o utente, os utentes.

 

Anda por aí um texto nos centros de saúde que diz:

“Os direitos do utente” – Descriminação e então as utentes não têm direitos?

O mesmo se passa com cliente, parece que só os homens são clientes.

 

Uma palavra que se usa muito é utilizador, mas é melhor deixarmos de usar porque é descriminação.

O utilizador poderá bla bla

A pessoa que usa poderá bla bla

Muito mais bonita a segunda opção.

Ah espera a pessoa será feminino?

 

Acho que devíamos reformular toda a língua portuguesa, já que ela maioritariamente favorece o género masculino, o que é perfeitamente natural dado que descende do galego-português que derivou para o português depois de, em 1113, se ter formado o reinado de Portugal, numa altura em que eram os homens a governar e a mandar.

Resumindo toda a língua descende de uma linhagem machista e discriminatória, é essa a sua essência, não temos outra solução se não rever toda a nossa língua para que deixe de ser discriminatória em relação ao género.

 

O que os deputados do Bloco de Esquerda parecem ter esquecido é que cidadania é um substantivo feminino, será que não é uma descriminação para os homens?

 

Só me ocorre um pensamento.

Com tanta descriminação contra o género feminino os deputados do BE focam esforços nisto?

 Não faltará muito para que quando se fale em descriminação de género as pessoas desatem a rir.

 

Por falar nisto tenho de terminar a história ou estória do Catarina.

 

6 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 15.04.2016 10:01

    Como eu escrevi a nossa língua é machista, são quase todas, é uma questão histórica. Mas não é isso que determina se uma sociedade é machista ou não.
    Não achas que com tanto a fazer, por exemplo, na igualdade no trabalho isto não acaba por ser parvo? Para além que a palavra nem é bem usada neste contexto.
    Se formos por este caminho temos de mudar toda a língua portuguesa.

  • Não acho. Acho que deveria ter começado por se escolher palavras neutras em tudo. Se tivessem chamado cartão único como estava pensado de início é que tinham brilhado. Claro que não gosto de ver dinheiro desperdiçado por mau planeamento, nem vejo isto como prioridade, mas se não gastar recursos acho muito bem. A linguagem ajuda a perpetuar o sexismo. Muitos pequenos passos vão mudando atitude e acção. Não é inocente todos os políticos agora dizerem portugueses e portuguesas, é algo que já devia acontecer há muito. Parece supérfluo mas não é. Umas lutas não invalidam outras.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 15.04.2016 10:11

    Eu acho que se analisarmos a língua portuguesa não vamos conseguir fazê-lo por mais vontade que se tenha, porque não temos pronomes sem género, temos o a e o o, o as e o os, acabamos sempre por definir o conjunto no masculino é a regra.
    Existem muitas palavras femininas, muitas delas importantes como humanidade, pessoa, república , não vejo nenhum problema nisso.
    Se formos por aí temos deixar de ser a República Portuguesa porque é feminino e mudar o nome de Portugal porque é masculino.
  • É diferente uma palavra que apenas tem um género do que uma palavra que pode ser feminina ou masculina. Apenas e só isso. Cidadão e cidadã.
    A Humanidade.
    O mundo.
    E ninguém está contra estes dois últimos nem lhe atribui propriedades femininas ou mas masculinas.
    Eu não disse que era prioridade nem que era fundamental, mas deviam usar nomes neutros como os últimos dois exemplos de início para evitar estas coisas.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 15.04.2016 10:25

    Não são neutros, é a humanidade, o mundo.
    Mundo - é um substantivo masculino
    Humanidade - é um substantivo feminino
    Palavras sem género são utente e cliente:
    Pode ser o cliente/a cliente; o utente/ a utente.
    Não têm género.
    Se antes da palavra só se usa um pronome masculino ou feminino então a palavra tem género.
    Podemos dar as voltas que quisermos o português está estruturado assim.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.