Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Fotógrafos amadores a quererem ser profissionais

O que distingue um profissional de um amador é mesmo o profissionalismo, infelizmente parece que o mundo se esqueceu de um dos significados de profissionalismo, ser profissional não passa apenas por ter brio profissional, ser profissional é fazer algo por ofício, não por passatempo, por gosto ou por achar que se tem jeito.

Infelizmente nas profissões ligadas à comunicação, marketing, design, fotografia, produção, vitrinismo, decoração o que não faltam são pessoas sem qualquer formação profissional a exercerem, o resultado é o que se espera de um amador, falha nos detalhes, é nos detalhes que está o diabo e basta um olhar mais atento para diferenciar um profissional de um jeitoso.

 

Que vendam o seu trabalho como profissionais e a que a maioria dos clientes não perceba e fique satisfeito da vida, não é ético, mas se o cliente não reclama e ainda fica satisfeito, quem sou eu para colocar problemas, agora quando o cliente reclama de forma construtiva, apontando erros e soluções para os mesmos, o amadorismo estende-se da atividade para a dimensão de tratamento do cliente e temos um amador a tratar as pessoas de forma amadora.

Gostar de fotografia, ter bom equipamento fotográfico e um estúdio não fazem de uma pessoa um fotógrafo, para fotografar acima de tudo é preciso ter olho e criatividade, mas mesmo quem tem essa apetência natural necessita de formação.

 

Há uma semana atrás o nosso problema passava por pensarmos que teríamos dificuldade em selecionar apenas algumas fotos de uma sessão, hoje o nosso problema é conseguir selecionar uma quantidade mínima de fotos.

Nos últimos anos é hábito as famílias contratarem as mais diversas sessões fotográficas para ficarem com um registo profissional dos momentos mais importantes, a fotografia profissional passou a estar presente em muito mais ocasiões, mas o que tenho percebido é que o registo nem sempre é profissional.

 

Antes de contratarem uma sessão, mais do que pedir referências, peçam o currículo do fotógrafo, não se guiem pelas fotos que colocam no portfolio, nem pelas opiniões de pessoas que não percebem nada de fotografia, peçam o currículo para perceberem se têm realmente formação na área para não terem dissabores.

É muito fácil ludibriar pais babados com fotos amorosas dos seus filhos, a tendência é olhar para o seu rosto feliz, mas um olhar atento revela falhas inadmissíveis no enquadramento das fotos, que a maioria das pessoas fique feliz e contente com o resultado final não surpreende, as pessoas não têm todas de perceber de fotografia e enquadramento, que tentem tapar o sol com a peneira a quem percebe é que é inadmissível.

 

Sei que eu o meu marido somos clientes exigentes, mas somos muito transparentes e diretos e antes ainda sequer de a sessão começar falamos das nossas profissões, do nosso gosto por fotografia, das nossas expetativas e dos motivos que nos levaram a contratar o serviço, o mínimo que o fotógrafo deveria ter feito era levar isso em consideração, porque se há clientes que gostam de tudo, outros há que por perceberem do assunto e saberem o que querem serão obviamente mais exigentes.

Não faltam ofertas de fotógrafos para sessões fotográficas, verifiquem se são realmente fotógrafos ou uns amadores que resolveram ganhar dinheiro fácil sem qualquer profissionalismo.

 

Todas as pessoas sabem carregar no botão para fotografar, poucas sabem buscar a essência das pessoas, isso é um dom, mas enquadrar bem é o mínimo, estou convencida que há por aí muitas adolescentes com mais olho para a foto que muitos que cobram por acharem que sabem ou percebem alguma coisa de fotografia.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.