Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

I’m back

Quem leu este blog de fio pavio e os seus comentários (ninguém para além de mim portanto) sabe que eu já admiti que nem sempre fui a melhor pessoa do mundo, houve uma altura em que era manipuladora, calculista, provocadora, enfim coisas caraterísticas da imaturidade.

Percebi que isso dava muito trabalho, era uma canseira na realidade e que ser boa pessoa compensava. Tretas não compensa nada!

Hoje, resolvi ressuscitar esse lado adormecido, e o que fiz eu perguntam vocês?

Não magoei ninguém sosseguem.

Uma “amiga” faz hoje anos, mas já não falo com ela há meses, porquê? Por nada de especial simplesmente porque se eu não falar com ela, ela não fala comigo e eu cansei-me de estar sempre a marcar coisas e ela parecer que estava a fazer o frete.

Para que entendam estamos a falar de amigos, ela e o marido, que frequentavam a nossa casa e nós a deles, jantares, saídas, férias, uma amizade a sério pensava eu.

Hoje procurei uma foto nossa, temos várias juntas e publiquei no mural dela com uma frase querida e personalizada e sincera, desejo mesmo que seja feliz porque gosto dela. Qual foi a reação dela?

Um gosto! Um simples gosto. Nem um adoro! Foi mesmo só um gosto. A foto não está visível no mural sequer, fiz questão de escolher uma foto que já tinha sido publicada para ter a certeza que ela aprovava, mas a verdade é que a foto está oculta e ela nem um obrigada, beijinhos escreveu.

O marido dela ligou ao Moralez a convidar-nos para uma festa surpresa organizada à última da hora, ser assim em cima já é normal deles, nada de novo, o meu dilema:

Vou à festa? E se for levo-lhe um presente?

 

A old me enviar-lhe-ia um postal muito fofinho com um texto do género:

 

Querida,

Desejo do fundo do coração que sejas feliz e que alcances todos os teus sonhos.

Espero que a festa esteja a ser boa e que aproveites muito, agradeço o convite do teu marido, mas eu não sou daquele tipo de amigas que só aparece em festas e quando morre alguém, não sou daquelas amigas que está lá sempre que precisas. Sou daquele tipo de amigas que está lá sempre, que faz questão de partilhar as alegrias e as tristezas, as coisas importantes e as coisas banais, que faz questão de fazer parte da tua vida.

Se na tua vida não há espaço para uma amiga assim tenho imensa pena, mas ser amiga dá trabalho, requer esforço, requer dedicação, requer dar tempo para receber tempo.

Já não tenho idade para colecionar amigas de ocasião e por isso lamento, mas não contes comigo para estas ocasiões.

Quando tiveres tempo para mim procura-me como sabes sempre tive tempo para ti, mas depois percebi que uma amizade é como uma relação amorosa, têm de ser os dois a dar ou mais tarde ou mais cedo termina em divórcio.

Considera este postal a intimidação para o divórcio, se quiseres podemos fazer mediação, há sempre espaço para reconciliação, mas aviso já que sou difícil de conquistar.

Se não responderes considero que não há espaço para mim na tua vida, sem ressentimentos, não podemos ser todos amigos e prefiro que sejas sincera e não me faças perder mais tempo do que fazeres um esforço agora e depois voltares a fazer como sempre, a desaparecer.

Parabéns e muitas felicidades.

A minha sinceridade e franqueza é o meu presente este ano.

Até breve ou até sempre, só depende de ti.

 

É claro que não lhe vou enviar este texto, não é por mais nada é que depois teria de a aturar ao telefone a chorar baba e ranho, a desculpar-se e não me apetece, até porque iria acontecer exatamente o mesmo que aconteceu da última vez que lhe disse que achava que ela não valorizava a nossa amizade, choradeira, abraços e depois vira ao disco e toca o mesmo.

O que me resta então?

Fazer corpo presente e comer de borla.

 

I'm back bitches!

8 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 22.06.2016 09:43

    Bloquearam-te porque a carapuça lhes serviu, é triste, é muito triste mas os amigos não são aquilo que eram, acho que podemos mesmo dividir as pessoas em 3 grupos:
    - Os amigos das saídas que estão lá para a diversão.
    - Os amigos dos acontecimentos que estão lá nos momentos marcantes, casamentos, funerais, nascimentos.
    - Os amigos verdadeiros, aqueles que estão sempre lá e que fazem questão de acompanhar a tua vida e te incluírem na deles, sempre, nos momentos importantes e nos momentos que não têm importância nenhuma, que ligam e aparecem sem aviso.
  • Imagem de perfil

    Niki 22.06.2016 09:45

    Cada vez tenho mais a certeza que amigos verdadeiros existem poucos mesmo....
  • Imagem de perfil

    Psicogata 22.06.2016 10:40

    E sabes o que me deixa furiosa? É toda a gente se queixa disso, mas pouca gente se incomoda a tê-los.
  • Imagem de perfil

    Niki 22.06.2016 10:45

    Epa já levei tanta sapatada, que acho que já nem acredito muito nisso da amizade... tenho colegas e pessoas mais queridas e é só. Basta a vida andar um pouco mais ocupada, que és esquecida do radar de muita boa gente.
    Realmente quando temos filhos, é muito mais difícil de fazer amizades. Porque eles exigem muito de nós e nem todos compreendem que não podemos levar a mesma vida que tínhamos antes.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 22.06.2016 10:53

    É por isso que muitos casais com filhos acabam por se aproximar de outros casais com filhos, mas a verdade é que quando se quer estar junto isso não interessa nada, os amigos sem filhos acabam é por ajudar a cuidar dos filhos os amigos, e depois esses amigos mais tarde com os filhos já maiores ajudam a tomar conta dos deles, é assim que deveria ser.
  • Imagem de perfil

    Niki 22.06.2016 10:57

    Pois devia de ser assim mas de facto não é. Muitas vezes quem não tem filhos olha quem tem filhos de lá... do género, puff agora não pode ir a praia ao 12 vejam lá coitadinhos. Ou qual o mal de fazer um jantar a 9 da noite... porque raio tem de levar o miudo, nem pensam que muitas vezes não temos com quem deixar ou nem queremos deixar o filho por algum motivo...
    São poucas as pessoas que entendem e marcam almoços ou jantares em casa.
    Tive uma colega que me convidou para o jantar de anos dela, tendo eu tido a minha filha a menos de 15 dias... e notei quando recusei que ficou chateada por eu não ir aos anos dela... e garanto que nunca viu a minha filha....
    O correcto seria ela vir ver a minha filha, dar-me os parabéns e dizer olha vou fazer a minha festa de anos habitual no restaurante x... mas compreendo que não possas ir, só queria te dizer para não sentires que não me lembrei de ti.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 22.06.2016 11:08

    Ahahahahah
    Essa é boa, queria que fosses a um jantar 15 dias depois do parto!
    A mim dos filhos ninguém me pode acusar, passamos a fazer almoços em vez de jantares, a preferir lanches a saídas nocturnas , não por ai que deixam de marcar encontros.
    O que eu percebi, percebemos eu e o Moralez , é que somos sempre nós a marcar tudo com todos, e eu cansei, cheguei a um ponto que cansei.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.