Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Manchester By The Sea

manchester-by-the-sea-quad-poster.jpg

 

Na senda de ver todos os filmes candidatos aos Óscares este fim-de-semana foi a vez e Mancherster By The Sea.

Se La La Land foi um valente murro no estômago, Manchester By The Sea foram três e de uma só vez, três murros e uma vontade incontrolável de chorar.

A música dá intensidade, vida aos filmes e se ter uma banda sonora produzida especialmente para um filme é receita para o sucesso, não é menos recorrer aos velhos e bons clássicos, há temas tão bons e tão intensos que simplesmente têm de ser escolhidos.

 

A cena mais dramática da história tem como banda sonora o tema Adagio Per Archi E Organo In Sol Minore – The London Philharmonic Orchestra, adoro o tema, a composição por si só já me comove com a tragédia do filme é simplesmente impossível não sentir empatia, angustia e tristeza pela desgraça das personagens.

Passamos o filme todo com o coração apertado, no início não se entende bem a indiferença do personagem principal, Casey Affleck, no papel de Lee Chandler é uma incógnita que no princípio nos desperta estranheza, mas por quem vamos desenvolvendo empatia e compreensão ao longo do filme.

Evitei ler sobre o filme antes de o ver, se não o fizeram vejam o filme sem o fazerem, acredito que a história assim terá outro impacto.

 

O filme pode parecer um pouco parado, mas a história desenvolve-se ao ritmo da vida das personagens, existindo um paralelismo entre o tempo e o seu estado de espírito.

Não é um filme romântico, é um filme sobre o drama de uma família, sobre uma tragédia e sob a forma como as pessoas lidam com ela, mas é um filme sobre amor.

É um filme sobre o amor e como ele sobrevive e como ele se transforma, é acima de tudo um filme sobre a vida, sobre a desilusão, a perda e o desespero.

Se são sensíveis munam-se de lenços, porque a história toca, toca-nos bem lá no fundo.

Mais um daqueles filmes que nos deixa com um travo amargo na garganta, que nos faz refletir sobre a vida. Um filme excelente, com uma história intensa e muito bem contada.

Um justo candidato aos óscares, mas não creio que seja o vencedor, Casey Affleck melhor que Ryan Gosling mas tem outros candidatos à altura, Michelle Williams esteve bem como sempre, mas muito longe da interpretação de Viola Davis que tem uma presença mais forte em Fences.

Pode não arrecadar nenhum prémio, mas será sempre um excelente filme.

Deixo-vos o tema mais marcante do filme.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.