Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Maria Begonha, que Vergonha!

Sinceramente não consigo entender como é que estes iluminados se metem nestas trapalhadas, se tentaram enganar as pessoas devem estar alienados das notícias que andam sempre a escrutinar currículos, se foi um engano, correção se foram três enganos, perdão, três gralhas, são gralhas muito convenientes e mais uma vez devem andar alienados para não as corrigirem, de qualquer das formas é uma vergonha, deixar sair uma candidatura com dados falsos ou errados seja por que motivo for é uma vergonha.

 

Primeiro erro - Data de nascimento - se era para a colocarem mais nova que lhe tirassem uns cinco anos, um ano para frente ou para trás não faz grande diferença a não ser que seja para cumprir os requisitos da candidatura.

Segundo erro – Presidente da Associação de Estudantes AE FCSH – Muito vantajoso para uma candidata à presidência de algo ter sido presidente anteriormente, só que nunca foi.

Terceiro erro - Mestrado em Ciência Política – mestrado que afinal não foi concluído, afinal a história não foi bem contada.

 

Se foi intencional esta menina já vai bem lançada na política, espera-lhe um futuro promissor na arte de enganar, se foi por incompetência espera-a também um futuro promissor no desleixo e inabilidade de ser rigorosa e criteriosa, requisitos para qualquer político que queira ser bem-sucedido em Portugal, até a imputar culpas para os outros a menina foi exímia, existe mesmo um futuro brilhante e promissor na carreira política de Maria Begonha.

 

Este é mais um caso entre tantos de trapalhadas políticas com embelezamento, estilo Photoshop, de um curriculum, uns retoques aqui, uns retoques acolá e facilita-se a vida e espera-se que ninguém se lembre de verificar.

Porque é que este caso é diferente dos outros? Não é, mas tem um significado diferente, significa que as novas gerações políticas não são diferentes das mais velhas e que a incompetência, artimanha, artifício e engano perpetuar-se-ão com elas, numa espécie de tradição.

 

Se há tradição que deve terminar em Portugal é a corrupção e a fraude política, em maior ou menor grau, não devem ser toleradas estas situações, o correto seria que esta menina nunca mais ter qualquer credibilidade política.

Há erros, intencionais ou não, que simplesmente não deveriam ser perdoados, especialmente no âmbito profissional, seja incompetência ou seja tentativa de falsear os dados, em ambos os casos o vaticínio ideal seria a erradicação da política, mas como estamos em Portugal o mais certo é cair no esquecimento e daqui a uns anos, se não antes vermos Maria Begonha bem instalada num cargo político.

17 comentários

Comentar post