Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Nunca é sempre

Resolução para a vida quando eu disser nunca mais, esse nunca será para sempre.

 

Não faço ideia como manter estes “nuncas” em mente, mas que tenho de os ter presentes tenho, por isso tenho de encontrar uma estratégia para me recordar deles, uma espécie de cábula para os momentos de hesitação ou um guia para a vida.

Pensei em tatua-los assim seria garantindo que estavam sempre comigo, mas para além de não apreciar tatuagens, não sei se tenho superfície suficiente visível aos meus olhos para os tatuar.

Um caderno talvez seja boa ideia, mas tem de ser um bem pequeno para que caiba em todos estilos de malas e o possa levar todo lado.

Um pergaminho para usar num colar também seria interessante, escreveria tudo em letrinhas pequeninas, enrolava-o meticulosamente e usava-o ao pescoço, consigo imaginar uma peça bonita e enigmática.

Posso criar um sistema de memorização e correspondência, onde uma letra ou desenho corresponde a um nunca, pouparia espaço e sempre exercitava a memória.

 

Não sei qual o sistema, doutrina que irei implementar, mas tenho que me disciplinar, quando digo nunca há uma razão muito forte para o fazer, por isso não posso esquecer essa razão, a razão é lógica, o impulso é isso mesmo um impulso, por isso se há razão no nunca esse nunca logicamente tem de ser para sempre.

Não esquecer que para além da lógica há o instinto, quando o meu instinto dá sinais de alerta e me leva a questionar é porque algo pode correr mal, nada como confirmar no manual de “nuncas” se ele já existisse teria confirmado.

Se não querem atentar contra os vossos “nuncas” sigam a sugestão e comecem a pensar em tê-los presentes para sempre.

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 16.03.2017 12:34

    Então escrevo num word e meto na cloud? Ainda não há Internet em todo lado, mas posso escrever uma nota do telemóvel, é muito raro ficar sem bateria.
  • Imagem de perfil

    Moralez 16.03.2017 12:46

    O melhor é continuar com a máxima de "nunca digas nunca"
  • Imagem de perfil

    Psicogata 16.03.2017 12:49

    Não se aplica neste caso, porque estou a falar de nuncas com experiência, não de hipóteses.
    Género eu nunca irei fazer isto...
    Pois, não sabemos.
    Mas se eu fiz, mais do que uma vez, correu mal todas as vezes, o lógico é não voltar a fazer, por isso é escreve nunca, e ser mesmo nunca.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.