Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

O real perigo de Donald Trump

8e619f2d6a15c3ca99daf87ad4529dfa.jpg

 

Donald Trump a par com a tensão entre os Estados Unidos e a Rússia deve ser o assunto mais preocupante da atualidade, especialmente se pensarmos que Donald Trump poderá vir a estar associado a essa tensão em breve.

A maioria das pessoas vê Donald Trump como um fanfarrão que pode ou não vir a ser o presidente dos Estados Unidos, mas não dá grande importância porque ele vai governar um povo que está do outro lado do oceano e porque ele até nem manda nada sozinho, veja-se o caso do presidente Obama que foi condicionado pelo Senado e pela Câmara dos Representantes

Só que há um detalhe, um detalhe de extrema importância, o presidente dos Estados Unidos é também o Chefe Supremo das Forças Armadas do país.

Isto poderia não ser preocupante se o presidente não tivesse autonomia neste campo, mas tem, embora não possa declarar guerra pode destacar tropas para onde quiser e bem entender. O que está aqui em causa é ter-se uma pessoa com poder de largar uma bomba nuclear ou uma arma química que tem um discurso xenófobo e racista.

O presidente dos Estados Unidos tem também poderes alargados no que toca à diplomacia, como é que alguém que destrata povos e comunidades pode ser o mais alto diplomata de um país que se apelida de livre?

A verdade é que se os Estados Unidos não mereciam Barack Obama, o mundo não merece Donald Trump.

Hillary Clinton está longe de ser uma escolha consensual, mas claramente aqui a frase de mal o menor aplica-se com toda a clareza, não podemos cair no erro de escolher Trump porque Clinton representa uma série de coisas más e instituídas, quando Trump é um ser irascível, intratável e francamente míope e perigoso.

O descontentamento com o poder não pode, nem deve justificar a eleição de uma pessoa despreparada, com princípios e valores desalinhados com os da própria Constituição do país.

Que o povo norte-americano não preza pela inteligência todos estamos cansados de saber, mas poderá a sua ignorância chegar a tanto?

Espero sinceramente que não, o mundo já está complicado o suficiente e o que menos necessitamos é de uma guerra que resulte de uma implicância ou demonstração de poder de uma criança mimada e egocêntrica que por azar é rica e influente.

Convenhamos que a crise financeira do Ocidente, a ansiedade da Rússia em ter relevância e a instabilidade no Médio Oriente são ingredientes mais do que suficientes para se justificar uma guerra.

A grande questão é se o Planeta sobrevirá a mais uma guerra?

Os grupos que têm capacidade para destruir, são os mesmos que têm capacidade para reconstruir, esperemos que tenham consciência que se não existirem pessoas não é possível reconstruir seja o que for.

E espero que tenham consciência do perigo que é ter Donald Trump como presidente de uma potência e que o travem antes que seja tarde demais porque as declarações dele só têm piada porque são hipotéticas se forem reais perderão toda a graça e só causarão desgraça.

6 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 19.10.2016 14:25

    Andy estou longe de achar que Hillary Clinton é a melhor pessoa para ser presidente dos EUA, mas achas que Donald Trump ser presidente faz algum sentido??
    A comunicação social até pode distorcer algumas coisas, mas os ideais dele são errados, diz barbaridades a torto e a direito e é uma pessoa que espelha o pior da classe empresarial americana.
    Quer dizer a Clinton deve favores a empresários e a alternativa é colocar lá um??
    Nenhum dos dois deveria chegar a presidente, mas como são os dois únicos candidatos com hipóteses de lá chegar, escolho Hilary Clinton sem dúvida alguma.
  • Imagem de perfil

    Andy Bloig 19.10.2016 14:43

    A Hillary é uma falsa... tal como o Obama.
    O Obama vêm para a televisão dizer que só tem uns quantos polícias a ensinar os iraquianos, ao mesmo tempo que passa autorizações legislativas para colocar mais de 60000 soldados americanos no Iraque. Para tudo o que possas ler em comunicados oficiais, os EUA só tem umas dezenas de instrutores a ensinar os soldados iraquianos.
    E ter lá alguém que é demasiado falso e que tem medo de tomar medidas, acaba por ser mais um problema do que uma solução.
    Na Europa vamos começar a apanhar com isso já nas eleições de França e Alemanha, onde poderá acontecer algo que o sistema eleitoral estava previsto para nunca poder acontecer. A Marine sabe que a única forma de derrotar o sistema eleitoral (corrupto) francês é vencer na primeira volta. E, segundo as sondagens, está a menos de 5% de conseguir isso. (Na França o sistema tornou "impossível" um partido que não seja dos 2 grandes, vencer na 2 ronda, pois se 1 dos candidatos não for eleito com 50% na 1 volta, passam os 2 mais votados e os 2 partidos, caso só 1 passe à 2 ronda, unem-se para colocar mais deputados.) Na Alemanha, um partido que tem tanto de orçamento como uma loja da baixa de Lisboa, conseguiu eleger mais de 20% deputados para as assembleias regionais, incluindo mesmo o estado natal da chanceler alemã, onde o partido dela e o SPD costumam partilhar mais de 80% dos votos. Tiveram metade do normal.
    Os russos só andam a aproveitar isso. Enquanto cá se fazem favores e se dão beijinhos e abraços, ao mesmo tempo que se "cortam cabeças pela via judicial", eles tem os recursos. O que farão os EUA quando a Rússia invadir boa parte da Ucrânia e cortar o abastecimento de gás e petróleo à Alemanha e países da Europa Central? 86% do combustível que a Alemanha usa para aquecimento, durante o Inverno, é proveniente da Rússia.
    E tudo, porque os governos seguiram o politicamente correcto e esqueceram-se da vertente humanitária baseada nas regras e normas que qualquer cidadão do país é obrigado a seguir. Com desconfiança, vale mais um fala-barato de que as pessoas já esperam tudo, do que alguém que te aperta a mão e dá 3 facadas nas costas ao mesmo tempo que te empurra pela janela.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 19.10.2016 14:47

    É precisamente por o presidente ter o poder de deslocar tropas que perigoso meter lá um lunático!
    Achas mesmo que é melhor ter lá o Trump?
    Achas que a solução para a Europa e para a corrupção política e promiscuidade entre o poder político e financeiro é a extrema direita subir ao poder?
  • Imagem de perfil

    Andy Bloig 19.10.2016 14:58

    É isso que é o sistema democrático. Certo?
    Quando um erra, o outro aproveita para capitalizar dos erros.
    E achas mesmo que o Trump é tão lunático como parece? Se fores ver o "Aprendiz", vais notar que a maioria do que ele diz não passam de baboseiras para ter atenção (algo que quem é político passou muitos anos a estudar para não cometer essas "gaffes"). Depois, quando é preciso, faz o que deve fazer.
    Há muito tempo atrás conheci alguém que dizia "Trust the one that tells you something that you need do piece together, than the one that tells what you want to listen and asks if you like it."
    Na Europa, estamos a pagar o seguir o "politicamente correcto" ao mesmo tempo que outros usam as nossas vidas para proveito próprio. O que não é diferente do que se passa nos EUA.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 19.10.2016 15:03

    Eu não discordo do que dizes só não acho que seja esse o caminho.
    Se ele for eleito está no seu direito, espero sinceramente que não seja.
    A solução para mim nunca passará por colocar no poder radicais e se queres que te diga o Trump perto da estrema direita que esta a ganhar poder na Europa é um menino, só que é um menino egocêntrico, birrento e que poderá vir a ter demasiado poder.
    A Europa deveria ter aprendido a lição, mas parece que as pessoas já se esqueceram do que fascismo fez à Europa.
    Nada de bom surgiu que um sistema extremista, nada, é pena que as pessoas tenham memória curta e visão míope.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.