Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

O véu de Marine Le Pen

Há muito que quero falar sobre da líder da Frente Nacional, o partido de extrema-direita francês, teria muito a dizer sobre as propostas de Marine Le Pen.

Mas hoje, e apesar de não concordar em nada com a sua ideologia, tenho de dizer que fez muito bem em recusar-se a usar véu no encontro com o mufti de Beirute.

Aplaudiria de pé a atitude, caso não percebesse o perigo da disseminação desta atitude, este tipo de comportamentos aplaudidos colocam-na mais perto da vitória.

Esta ilusão que ela defende os valores da República, das mulheres e outros similares é perigosa, ela até pode defender, a verdade é que todos os candidatos defendem sempre o melhor para o seu país, mas é um melhor à sua imagem, de acordo com os seus valores.

Queremos um país, uma Europa forte, mas a que custo?

Valerá a pena sacrificar décadas de liberdade, igualdade e fraternidade para conseguir um país mais forte?

E será realmente um país mais forte? Ou será um país mais fechado? Culturalmente mais pobre? Mais triste?

Há muito que falo do poder de contaminação da eleição de Donald Trump e do Brexit, se esta ideologia se propagar à França esperam-se tempos tumultuosos na União Europeia, a França sempre teve um papel determinante na defesa da liberdade e da igualdade, será que a Europa estará preparada para assistir a uma inversão de papéis?

Passará a ser a Alemanha a defensora da igualdade? Resistirá Angela Merkel?

Estas questões parecem estar longe do mundo dos portugueses, mas estão muito próximas, estão mesmo aqui no nosso quintal, e não, não é porque temos muitos portugueses espalhados pelo mundo, é mesmo porque Portugal faz parte da Europa e do Mundo e se o Mundo ficar doente nós sofreremos as consequências, se não formos contagiados pelo vírus do protecionismo, seremos afetados pelas sequelas dos outros países, especialmente da Europa.

Estaremos a regressar às fronteiras? Ao protecionismo? À concorrência? À exclusão? À discriminação? À segregação? À desunião de nacionalidades, credos e raças?

Esperemos que este tempo de incerteza sirva para reforçar os valores que uniram a Europa e não para a dividir e separar.

Que este véu negro que cobre a Europa se rasgue e voe para bem longe.

9 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 22.02.2017 14:56

    :) Exacto, está carregada de segundas intenções.
    Acho que os franceses não se comparam aos americanos, mas não digo nunca, porque da forma que as coisas estão é bem possível que para surpresa do mundo ela seja eleita...
  • Imagem de perfil

    Heidiland 22.02.2017 14:58

    Eu também não pensava que o Trump fosse ganhar, por isso já não digo nada. Informem-se, leiam e questionem. É importante estarmos bem informados antes de votarmos seja em quem for.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 22.02.2017 15:09

    O problema é esse, as pessoas não se informam...
    Aliás há pessoas que nem sequer pensam, fará pensarem em informar-se!
  • Imagem de perfil

    Heidiland 22.02.2017 15:12

    Se algumas pessoas comentam notícias apenas e só pelo título, imagino o trabalho que dá estarem 10 minutos a lerem um programa eleitoral ou ouvir aqueles cinco minutos de propaganda antes das eleições.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 22.02.2017 15:20

    Já os fazem maçadores para que ninguém os queira ler ou ouvir, é tudo de propósito...
    E depois as pessoas votam com base em conversas de circunstância.
  • Imagem de perfil

    Heidiland 22.02.2017 15:25

    Tive uma colega de faculdade que votam no Cavaco, porque a família a pressionou a fazer. A partir do momento que tens pessoas letradas que se deixam influenciar tão facilmente, já não questiono quem vota em base em conversas de circunstância ou pelos títulos que leio no CC.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 22.02.2017 15:29

    Acontece muito isso, vota-se pelo partido dos pais, pelo que o amigo diz, pelo que se ouve aqui e ali, as pessoas não se preocupam minimamente em estar actualizadas.
    É verdade que é cada vez mais difícil estar dentro de todos os assuntos da actualidade, mas há mínimos.
    O mínimo é conhecer o programa de quem pensamos eleger.
  • Imagem de perfil

    Heidiland 22.02.2017 15:37

    Se estivermos atentos às notícias sabemos mais ou menos o que cada partido apregoa e os valores que defende.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.