Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Os manifestantes amarelos

hm.jpg

Começo seriamente a pensar em vender t-shirts amarelas com as frases:

“Os nossos impostos podem escolher?”

Claramente que usaria esta para afirmar a minha revolta contra os impostos que pago todos os dias e que não escolho pagar, e claro para reivindicar o direito de fazer o que bem entendo com os impostos que pago.

Como por exemplo eu acho que o Estado me deveria financiar umas belas férias nos Açores, eu posso com o meu dinheiro ir ali passar uns dias ao Alentejo, mas decido que é melhor ir para os Açores, dizem que é para lá que as celebridades vão.

 

“A minha escola é a melhor. Ponto”

Toda a gente sabe que a sua escola é a melhor, quem é nunca assistiu a uma amena discussão entre amigos que andaram em escolas diferentes onde cada um defende a sua com unhas e dentes.

 

“Eu não sou um contrato, sou uma criança”.

Bem esta tal e qual seria um mimo para usar no trabalho, se bem que com uma pequena alteração ficaria ainda melhor – Eu não sou um contrato, sou uma pessoa.

Todos sabemos que apesar de sermos pessoas estamos sujeitos a contratos, deveres e obrigações e que muitas vezes isso passa por sermos tratados como um número, é bem que habituem as crianças para esta realidade, não lhe metam fantasias na cabeça, para isso já chegam as séries da Violeta e afins.

Na minha opinião a manifestação amarela de manifestação teve pouco, aquilo foi mais um espetáculo de variedades e talentos, claramente uma ofensa a quem não pode ter os filhos em escolas que lhes ensinem acrobacias.

 

“Vamos tornar esta onda amarela a maior de sempre em Portugal. Vocês são incríveis”

Por momentos pensei que iriam dar uma gigantesca aula de zumba.

Fizeram muito bem em escolher o amarelo, é a cor da icterícia que se cura como? Com luzes, é claro que estes manifestantes só procuravam as luzes da ribalta. Será que julgaram estarem por ali os jurados do Portugal Got Talent?

O amarelo é também a cor do otimismo, têm de ser muito otimistas para achar que os portugueses que têm os filhos nas escolhas públicas e especialmente os que os têm em escolhas privadas que pagam todos os meses a mensalidade se iriam compadecer com a sua luta.

A cor amarela também é a manifestação da hepatite, uma doença do fígado, o meu fígado realmente começa a dar de si, já estou amarela ao ver tamanha hipocrisia e desplante.

A verdade é que há muita gente que nem se quer lhes deu tempo de antena, quem é que se vai compadecer com uma manifestação que mais parece um desfile?

Esta manifestação chega a ser ofensiva, não tem qualquer razão de ser, se as escolas privadas são assim tão boas e se fazem realmente o Estado poupar dinheiro que se acabem com as escolas públicas e se transfiram todas as crianças para o sistema privado, que todas as crianças possam aprender acrobacias.

Agora não me venham com a história que podem escolher, e se agora todos os portugueses escolhessem que queriam ver os filhos nas escolas privadas e obrigassem o Estado a pagar por isso?

Se há alternativa pública, não faz sentido estar-se a financiar escolas privadas. E serão as escolhas privadas assim tão boas?

Perguntem a quem lá trabalha com contratos de trabalho precários ou a passar recibos verdes se são assim tão boas.

Tenham juízo manifestantes amarelos, as pessoas que vestem t-shirts amarelas são os ocupantes da Casa Amarela.

7 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 31.05.2016 11:18

    Ana, mandar pessoas para o desemprego é sempre mau, mas quando as escolhas privadas vivem de subsídios do Estado algo está mal.
    O Estado não pode financiar entidades privadas. Existem alguns colégios que praticamente só tem alunos financiados.
    Se uma empresa, independentemente da área de negócio não é viável tem de fechar, é assim o mercado.
    Além disso estes alunos irão para escolas públicas e por isso essas abrirão mais concursos.
  • Imagem de perfil

    Chic'Ana 31.05.2016 13:55

    É como eu digo... Isto daria para uma conversa toda a tarde. Repara que eu não estou contra a decisão do governo, eu concordo, agora, o que eu concordava também é que estes 15.000 funcionários tivessem o seu posto de trabalho assegurado.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 31.05.2016 14:16

    Mas Ana, ninguém tem o posto de trabalho assegurado no sector privado, faz parte da vida.
    Além disso os cortes não são feitos todos de uma vez.
  • Imagem de perfil

    Chic'Ana 31.05.2016 14:18

    Se abrirem insolvência, serão feitas de uma vez...
  • Imagem de perfil

    Psicogata 31.05.2016 14:38

    Mas Ana quantas empresas abriram insolvências nos últimos anos em Portugal? O que é que essas empresas são menos do que os colégios?
    Devemos financiar as empresas que não são sustentáveis para não termos desempregados? Isso não é possível.
    Irão para o fundo de desemprego como os outros, se tenho pena? Tenho como tenho de todos as pessoas que estão desempregadas.
  • Imagem de perfil

    Chic'Ana 31.05.2016 14:42

    É verdade, e eu nisso concordo contigo.. Mas os números neste caso são assustadores: são 15.000 docentes + funcionários + equipas (quer jardinagem, quer segurança, quer alimentação, quer limpeza).. este número vai crescer e muito! Vai contribuir para que outras empresas fechem...
    Acho que as consequências económicas vão ser desastrasas...
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.