Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Os polícias do português dos blogs

Há uma espécie de comentador, maioritariamente anónimo que gosta de comentar particularmente os posts destacados na homepage do Sapo que ignora completamente o conteúdo do texto para dar lições de português aos autores.

Ensinar a escrever bem, chamar a atenção para um erro não é necessariamente mau, as críticas construtivas são bem-vindas e os erros podem ser corrigidos de modo a que o texto para além de ter conteúdo relevante, passe a ter conteúdo sem erros ortográficos ou gramaticais, o que não é de bom-tom é maltratar o autor com arrogância, altivez e má-educação, demonstrando que por mais letrado que seja nunca será bem-educado.

Raras as vezes a correção tem apenas o intuito de corrigir, com ela traz a intenção de humilhar e de subjugar o autor do blog a uma posição de ignorante ou iletrado, curiosamente e por pura coincidência (quero acreditar que é porque o texto alcança mais pessoas) isto acontece a textos publicados num lugar de destaque ou então esquecendo as coincidências é mesmo porque o comentador está invejoso e decide ser juiz e carrasco do texto.

Já muito se falou aqui e em outros blogs dos destaques, mas parece que estes ainda fazem muita confusão a muitas pessoas, pessoas essas que julgam que a sua opinião pessoal é mais válida que a opinião da equipa da Sapo Blogs ou do próprio portal Sapo, questionar as escolhas dos outros com base na sua opinião é só ser hipócrita e cínico, mas o que interessa é o bom português.

Dizer que somos todos uns iletrados e que a iliteracia é dominante nos blogs, não é uma crítica é uma constatação, uma consequência óbvia da sociedade que temos, onde a leitura não é hábito regular, onde dar erros ortográficos e gramaticais não impede ninguém de passar de ano ou de exercer uma profissão, onde dar erros, por mais grosseiros que sejam, não é vergonha, é feitio e onde de uma forma generalizada ninguém dá importância a esses erros.

Este desprezo pela língua portuguesa está tão patente na nossa sociedade que até a adoção do acordo ortográfico foi permitida, os nossos governantes representam o povo e a mensagem que nos passaram foi a que temos de subjugar a nossa língua aos maneirismos e modas que outros países lhe atribuíram.

No fundo, poucos são aqueles que se preocupam com a língua portuguesa, tal como não se preocupam com tantas outros temas importantes da nossa cultura e identidade, é por isso mais do que natural que exista desleixo e assimilação de tiques do português de outros países que nos entra todos os dias pelos olhos e ouvidos no cérebro pela televisão, imprensa e agora redes sociais, basta ver quantos mantras se partilham e replicam em português do Brasil.

É triste perceber que cada vez se escreve pior e cada vez menos se tem vergonha disso, temos mais habilitações académicas mas isso não é sinónimo de saber escrever sem erros, o que não faltam são doutores que não conseguem escrever um parágrafo sem darem erros.

Apesar desta triste realidade, importa realçar a democracia que, em geral, as redes sociais, tantas vezes amplamente criticadas e os blogs, em particular, deram às pessoas, qualquer pessoa escreva ela bem ou mal pode exprimir livremente a sua opinião, não temos de ser todos aspirantes a Camões para escrevermos, aliás começar a escrever é o primeiro passo para escrever melhor.

Ninguém tem o direito de dizer a quem quer que seja que o seu texto não merece ser publicado, ninguém tem o direito de humilhar publicamente alguém só porque decidiu escrever e não sabe escrever melhor, em Portugal precisamos de espírito crítico e escrever é um exercício bom para treinar esse espírito.

Aos polícias do português dos blogs faço um convite, criem blogs que incentivem a escrever bem, é um tema bastante pertinente que até costuma estar em destaque. Não têm de agradecer, lá no fundinho, bem no fundinho o que vocês querem é protagonismo.

De nada.

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 15.11.2019 14:29

    Sim, os brasileiros não são diferentes dos outros nem todos escrevem correctamente.
    É muito engraçado quando tentam encontrar erros que não existem :)
    Na informação deveria existir mais rigor na escrita, mas creio que só tende a piorar, primeiro porque existe muita pressão para noticiar primeiro e segundo porque a profissão de jornalista tem vindo a perder importância e passou a ser moda os meios terem mais estagiários do que quadros.
    Sem querer generalizar, tivemos aqui na empresa uma estagiária de um curso de Ciências de Comunicação que não sabia que uma notícia deveria responder às questões: O quê, Quem, Quando, Como e Porquê?

    O importante é que se escreva, o treino é importante.

    PS. Obrigada pelo aviso.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.