Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Os portugueses a sacar dinheiro aos emigrantes

Esta mentalidade mesquinha de querer ganhar tudo de uma vez à custa dos outros é de tão mau tom que dá asco, os estabelecimentos comercias, sejam eles quais forem, são sustentados ao longo do ano pelos portugueses residentes, por que carga de água resolvem subir os preços em Agosto apenas e só porque os emigrantes têm mais disponibilidade financeira? E quem está cá e os sustentou o ano inteiro também paga mais como recompensa por ser cliente fiel?

A peixeira costuma levar 2€ por 20 sardinhas pequenas, hoje levou 2,50€! Mais 0,50 cêntimos porque é Agosto!

 

A subida de preço é generalizada, mas na carne e peixe é descomunal, nem com as promoções os preços são condignos, já não é a primeira vez que noto uma subida de preços nesta altura do ano, mas este ano em particular acho que exageraram, pessoas mais desatentas podem não se aperceber, mas quem tem preços de referência de diversos produtos basta uma passagem pelos supermercados para perceber que os frescos estão todos substancialmente mais caros.

Mais um exemplo costumo comprar costeletas de vitela a 4,99€ ou menos quando estão em promoção, este mês estão à venda em promoção a 6,99€ num conhecidíssimo supermercado.

 

Não tarda nada em Agosto teremos uma tabela de preços de valor acrescentado em tudo, não demorará muito para que cafés e restaurantes sigam esta tendência.

Entendo que estabelecimentos que estejam sujeitos a sazonalidade pratiquem preços mais atrativos nas épocas baixas para captar clientes, mas bens consumíveis ao longo de todo ano, que se vendem sempre não há qualquer razão para que tenham sazonalidade a não ser o aproveitamento descarado dos emigrantes e possivelmente de turistas.

 

Indecente, indecente que se obrigue os clientes habituais a pagar mais só porque têm mais clientes e mais adinheirados, já iriam faturar mais por terem mais clientela, mas como o sentido de oportunismo fala mais alto, aproveitam e vendem mais, a preços mais altos.

29 comentários

Comentar post