Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Língua Afiada

Planos impossíveis, marcos da vida

Há muito tempo que tem sido impossível planear algo a longo, médio prazo, na verdade a minha (nossa) vida tem estado numa espécie de suspensão, seria de esperar que nos habituássemos, mas não é fácil especialmente quando isso nos impede de descansar, de relaxar, de tirar uns dias para nós, algo que adoramos fazer.

Há um ano que não temos férias, tivemos fins-de-semana prolongados, mas quando estamos atolados e com dificuldades em relaxar, 3 ou 4 dias são manifestamente insuficientes para descansar.

 

Sinto saudades daquele descanso bom, de desligar a ficha, de não ter preocupações com nada, de abandonar a rotina, de me dedicar a recuperar energias fosse por banhos de mar ou por banhos de cultura, ou ambos, desligo tanto numas férias descontraídas num resort como a calcorrear cada palmo de história de uma cidade.

Ontem estava a planear umas férias de 7 dias, estava animadíssima, ainda bem que comentei com o marido, desci logo à terra, olhando bem para o calendário é impossível encaixar 7 dias de férias, não dá, não existe espaço, entre o que já temos marcado e o que pode acontecer é não consigo marcar 4 dias como irei marcar 7 dias seguidos de descanso.

Já estava de mau-humor fiquei ainda com uma dor de cabeça, pode ter sido coincidência, mas a verdade é que fiquei.

 

Sinto-me incapaz de relaxar já há algum tempo, sinto uma pressão invisível, como se o ar à minha volta estivesse sempre mais pesado que o normal, não consigo descrever bem esta sensação, é como estar consciente mas incapaz, sinto-me inábil de ordenar os pensamentos e de me focar no que é necessário e importante.

Este estado de latência perene afeta a minha produtividade e a minha criatividade, sinto-me oca por dentro e desnudada por fora, sem ideias, sem vontade e sem força para mudar esta realidade que mais parece ser um sonho disforme, tudo está enevoado e distorcido.

Terminei um projeto extra, não consegui deixar de sentir uma espécie de alívio por ter menos uma tarefa a cargo, mas tenho um projeto meu ao qual necessito dedicar-me, mas falta-me foco, vontade, garra.

 

Preciso de uma paragem, bem definida, concreta, esculpir uma linha entre o antes e o depois, ter um marco, um ponto de partida para a mudança, uma base, um compromisso, cortar, desligar, sair do meu mundo para reentrar nele recomposta, saudável e mais forte.

Ao longo da nossa vida vamos definindo pontos de referência, marcos cronológicos que significam que antes de um acontecimento a nossa vida era de uma forma e depois desse acontecimento a vida passou a ser de outra. Necessito de um acontecimento que dite que depois dele a minha vida será diferente, estes eventos não dependem só de nós, mas se a vida não os proporciona cabe a nós facilitar que aconteçam.

 

Não sei o que será, mas sinto que uma mudança está prestes a acontecer, uma mudança que quebre com o passado e conceda um futuro diferente, que me permita dizer um dia - antes e depois do momento acontecer.

 

 

8 comentários

  • Imagem de perfil

    Psicogata 12.04.2018 12:43

    Não temos dias Sofia, não conseguimos conciliar para já uma data, talvez no início de maio consiga encontrar espaço entre compromissos.
    Tenho imensos dias de férias e mesmo sem nada planeado vou fazer a ponte de 1 de Maio, mas queria marcar algo até porque tenho de usufruir dos dias em atraso.
  • Imagem de perfil

    Sofia 12.04.2018 12:46

    Olha, que eu acho que devias seguir o conselho da Happy!
    Porque não tiras só uma semana para ti, sei que não dá para descansar verdadeiramente, mas dá para assentar as ideias, há muitos casais que o fazem?!
  • Imagem de perfil

    Psicogata 12.04.2018 14:02

    Se tirar uma semana de férias sem planos ainda é pior, porque é para stressar e não me estou a ver a viajar sozinha, por isso mais vale guardar os dias para quando conseguirmos estar os dois.
    Não gosto de tirar férias para estar por casa, porque acontece uma de duas coisas, ou acabo por sair para aqui e para acolá e gasto uma fortuna sem saber como ou meto-me a fazer arrumações e fico mais cansada do que a trabalhar, não consigo estar muitos dias em casa sem fazer nada.
    Às vezes até acho que tenho um problema com o tempo, parece que não sei geri-lo quando estou em casa.
  • Imagem de perfil

    Sofia 12.04.2018 14:25

    Gata, tens que aprender a relaxar uma semana em casa para descansar!
    Felizmente, vocês têm dinheiro para viajar, mas a maioria das pessoas não tem e fica por casa, dando passeios ocasionais.
    Tens que tentar mudar essa postura, pois só te está a prejudicar, tens de aprender a a parar...
  • Imagem de perfil

    Psicogata 12.04.2018 15:02

    Tenho de aprender a parar, se calhar tenho mesmo, mas descobrir como é complicado.
    Sabes que depois de vivermos acelerados é difícil desacelerar.
    Isto é tão parvo Sofia que dou por mim stressada quando não tenho nada para fazer, mas ao mesmo tempo fico stressada porque não me consigo organizar, ando um bocado louca, é difícil explicar.
  • Imagem de perfil

    Sofia 12.04.2018 15:28

    Gata, sabes que eu gosto muito de ti, estou a dizer-te como amiga!
    Tens mesmo que encontrar um equilíbrio, já basta os stress do trabalho, mas é uma disciplina que tens que incutir a ti própria, experimentar tirar um dia ou dois para ti, assim que puderes, tenho a certeza que tens todo o apoio do Moralez.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 12.04.2018 15:31

    Eu sei, tenho antes de mais de me acalmar ando muito agitada, um dia destes conto-te a história toda porque eu aqui só conto uma parte do problema.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.