Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Feliz aniversário ou tirem-me deste filme

Hoje celebro mais um aniversário e por mais esforços que tenha feito para me esquecer que estou mais velha a cada dia que passa as pessoas insistem em lembrar-me disso.

Não adianta de nada não ter o aniversário listado nas redes sociais, há sempre a família que se lembra invariavelmente e que lá vai publicar as suas mensagens de parabéns, nem se quer adianta não permitir publicações porque comentam a última foto colocada que passa a ter muitos comentários e a aparecer no mural de toda a gente e é ainda pior.

O melhor mesmo é terminar com as redes sociais, mas infelizmente por vários motivos que não interessam agora não o posso fazer.

Não me importo que os meus me desejem os parabéns, afinal estão comigo todos os dias e é só mais uma lembrança boa. O beijo que o Moralez me deu hoje de bons dias foi igualmente especial ao dos outros dias porque é dele e isso basta-me.

Mas na era da informação ocultar o aniversário é utopia, a começar logo pelo Google.

 

Nem no sossego do nosso computador nos deixam em paz.

 

aniversario1.jpg

 

Mas porque é que eu não gosto de festejar aniversários? Tão simples que nem sei porque é as outras pessoas gostam.

 

1 – Todos os anos acrescento um ano à idade

Eu sei que a idade é um número, mas quando tenho de preencher um formulário é esse número que importa e esse número é tão discriminatório como qualquer outra caraterística, porque há idades para tudo dizem uns, porque a idade traz responsabilidade dizem outros, porque a idade isto e aquilo e bla bla bla.

 

2 – Porque um ano mais velha é um ano mais próxima do fim

Não faço ideia de quando vou morrer, posso morrer amanhã ou quando fizer 100 anos, a única coisa que sei é que sempre que acrescento um ano fico mais próxima dessa data…

Para muitos festejar o aniversário significa mais um ano de vida, para mim é menos um.

 

3 – A expectativa

Toda a gente acha que vais ter um dia fantástico, mesmo que tenhas decidido ter um dia como todos os outros, que vás trabalhar e que não tenhas intenção de festejar, todos vão achar que o dia será especial só porque é o teu aniversário. Não é, não é um dia especial, os problemas não vão fazer pausa, a conta bancária não vai aumentar por magia, não te vais sentir mais bonita e feliz só porque nasceste há x anos atrás.

Acho que os aniversários são para os pais, porque para eles (quase todos) faz sentido comemorar a chegada de uma dádiva.

 

4 – Tens de parecer feliz e bonita

Mesmo que não tenhas vontade nenhuma de te arranjares, a verdade é que vais falar e encontrar-te com mais pessoas que o normal por isso é melhor vestir uma roupa bonita e disfarçar as olheiras e sorrir, ao menos que o sorriso me acompanha todos os dias e por isso essa parte é fácil.

Mas a verdade é que se há coisa que os anos não trazem é beleza, até podem trazer charme mas beleza não.

 

5 – Nunca saber o que dizer

Fico sempre embasbacada quando me dão os parabéns, sem nunca saber o que dizer, eu que tenho sempre resposta para tudo, mas nestas alturas acho que só digo parvoíces.

 

6 – O balanço

Há duas alturas no ano em que faço um balanço da minha vida, no fim do ano e no aniversário e odeio, a balança está sempre desequilibrada, há sempre tanta coisa que sei que nunca conseguirei fazer.

 

7 – Cansaço emocional

É um dia em que estou um bocadinho triste e por isso fico mais sensível, por isso para ir às lágrimas com um abraço ou com uma frase mais sentida é um instante, estão a imaginar o controlo que tenho de ter para não estar sempre a chorar. Uma canseira.

 

8 – A festa

Como livrar-me de fazer festa num dia que é suposto ser de festa?

Tenho conseguido evitar mas dá cá um trabalho, mesmo quando sabem que não queres é complicado convence-los.

Para mim só há um tipo de festa, aquela que é de arromba e como não tenho nem tempo nem dinheiro para organizar uma festa dessas nem vale a pena tentar.

Além disso há sempre aquele receio estúpido que ninguém apareça, mesmo que saibamos que isso nunca iria acontecer.

 

9 – Os presentes

Assim de repente não me lembro de nenhum presente que me deixasse boquiaberta, nem um, se tivesse lembrar-me-ia com certeza. É sempre uma desilusão, especialmente porque tenho sempre muito cuidado na escolha dos presentes das outras pessoas, já tive mais é verdade, mas também começa a ser cansativo dedicar tanto tempo na escolha dos presentes dos outros quando ninguém acerta nos nossos.

Salva-se o marido que até quando não tem ideias pergunta e é o melhor que faz, embora o melhor presente de sempre que me deu não tenha sido material mas sim um gesto.

 

10 – Vira o disco e toca o mesmo

No fim do dia suspiras de alívio e pensas já passou, mas depois lembraste que para o ano a história repete-se.

 

11 – A vida festeja-se todos os dias

As festas de aniversário soam a falso, especialmente quando não há nada a celebrar, para mim a vida festeja-se todos os dias, não faz sentido ter um dia certo para o fazer, em anos miseráveis em que nada de bom acontece ainda menos sentido tem a celebração.

Celebrar só por celebrar não faz sentido e ponto.

 

 

Nunca gostei de celebrar o aniversário, pensei que com os anos pudesse aprender a gostar, mas tem sido o contrário, a cada ano que passa gosto menos. Talvez quando tenha uns 80 anos passe a gostar porque aí sim cada ano a mais será uma vitória, um bónus, agora é só menos um para viver tanta coisa que ainda falta.

Para tudo! Este blog faz 2 anos!

2 anos.png

 

De repente olhei para a data de hoje e achei que era um dia importante, fui ver os aniversários no Facebook, apesar de ter uma pessoa importante, não era isso.

Penso mais um pouco e fez-se luz.

Faz hoje dois anos que eu achei boa ideia partilhar com o mundo as minhas ideias, as minhas opiniões, os meus pensamentos e os meus desabafos.

Este blog começou para ser afiado mas tornou-se tão mais do que isso. Tanta coisa mudou em dois anos, especialmente deste que me mudei para a plataforma do Sapo.

Lancei o blog em Maio de 2014 e estive meses sem escrever, regressei em Dezembro de 2014 e nunca mais parei, hoje o blog faz parte da minha vida.

Que venham muitos mais anos de textos sem grande alinhamento, bem ao sabor do vento e que vocês estejam aí desse lado.

Obrigada! Porque sem vocês desse lado não seria a mesma coisa.