Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

O fantástico sentido de humor da vida

Na semana passada lamentava-me que não podia tirar férias por causa do trabalho, que apesar de ter terminado um projeto, não havia muita margem para marcar viagens entre compromissos.

Estou convencida que a minha vida gosta mesmo de brincar comigo pois eis que nos coloca, a mim e a ele um novo projeto, não sabemos ainda em que moldes, o trabalho que dará e é preciso claro que passe da fase de orçamento, mas sendo que o cliente já conhece o nosso trabalho a probabilidade que o projeto se concretize é alta.

Se isto é bom? Claro que sim, é espetacular, é acima de tudo reconhecimento e uma oportunidade de fazermos o que gostamos, mas, há sempre um mas, é preciso aparecer sempre tudo ao mesmo tempo?

Não é que não esteja feliz, estou muito feliz e agradecida, até porque é uma oportunidade que pode abrir caminho para uma oportunidade muito maior, mas precisava de um intervalo e não sei como encaixar esse intervalo na minha agenda.

A minha vida deve pensar isto de mim:

- Queres tempo para descansar?

- Toma lá mais trabalho que é para aprenderes a não te queixares! Há pessoas que nunca têm férias e não morrem, se calhar queixam-se menos que tu!

 - Para a próxima não te queixes!

E é isto!

É claro que facto de eu não dormir uma noite seguida há umas cinco noites seguidas e de no fim-de-semana ter ficado mais cansada do que descansada pode estar a alterar profundamente o meu pensamento, que neste momento só pensa no sofá, mas isso são detalhes.

Pérolas da Internet sobre o açúcar

A propósito da campanha do Governo sobre os perigos do açúcar.

Estava a pensar escrever sobre o tema, mas depois deparei-me com alguns comentários e fiz esta pequena compilação:

 

Agora querem ver querem mandar no que comemos?

 

Esta campanha contra o açúcar é só para nos distrair das vigarices do Governo.

 

Qualquer dia não se pode comer.

 

Gostava de saber o custo da campanha...é que todos nós a pagamos e o meu dinheiro é caro.

 

As pessoas já não sabem o que fazer...Quem tem graves problemas como diabetes etc.eu percebo...caramba!!! Nada se pode comer nem beber...O álcool são as cartas de condução...Os carros só andam a 40 ??? Nada de nada se pode fazer em Portugal??? uns exageros que ninguém aguenta....Não se preocupam em saber quem nos tirou milhões??? isso é que mata mais a saúde pública a toda a hora!!!!

 

Levar no c* e drogas é aceitável, aceitar ser esmifrado por imigrantes subsidio dependentes é nosso dever, aceitar as práticas da ciganada é lei, no entanto comer produtos com açúcar é crime e quem o faz deve ser banido... estamos muito mal

 

Cambada de nazis! Regulamentos e proibições a torto e a direito. Tratam as pessoas como crianças e elas gostam . Gostam que lhes digam o que podem comer, beber, ver e ouvir. Pobres de espírito! 

 

Com esta perseguição ao açúcar, as populações terão que virar-se para outras fontes de gratificação e recompensa. Está tudo previsto: vem aí a legalização da cannabis. O permissivismo relativamente aos ciganos que na baixa de Lisboa alegadamente vendem haxixe e cocaína, a despenalização do consumo e a legalização do consumo para fins ditos terapêuticos, tudo isto faz parte de uma manobra de alienação das massas com vista a instaurar a ditadura do proletariado, onde um povo acéfalo está sujeito aos ditames autoritários de uma Nomenklatura rígida e inflexível que tudo controla e comanda, nem que seja por recurso à inebriação neuroquímica do povo.

 

Claramente que esta campanha sobre o açúcar é uma conspiração do Governo para simultaneamente controlar o que comemos, desviar dinheiro, legalizar drogas, favorecer os ciganos, tudo faz parte de um plano malévolo para controlar a nossa mente, não se acreditem em nada do que os médicos dizem, estão comprados, o açúcar não faz mal a nada, o Governo não está preocupado com a taxa elevada da diabetes, outra conspiração, os laboratórios querem é vender insulina, comam, comam o que vos apetecer e aprouver.

O que não se aguenta é termos tantas regras, tantas normas, querem ver que agora não somos livres?

Abaixo o Governo, abaixo as regras, viva a anarquia do açúcar.

 

Tudo porque as pessoas não querem que alguém lhes diga o que devem ou não comer, como se fossem crianças e depois agem como crianças mimadas a quem se nega um doce.

 

As frases são comentários realizados de forma pública em páginas públicas, de qualquer forma os seus autores não estão, nem serão identificados, se algum dos autores se deparar com este blog e queira ver o seu comentário apagado por favor solicite-o.

Paciência, haja paciência

Estamos no Natal pessoas, época de amor e de paz, não, não é só para inglês ver, é mesmo para levar a sério, é tempo de ser condescendente, relevar, deixar passar, não levar as coisas demasiado a sério.

Não buzinem com o senhor que não dá pisca, ele estava a cantar e a dançar o Last Christmas e esqueceu-se, acontece aos melhores.

Não se chateiem com o colega porque se esqueceu de responder um email, afinal tem o e-mail entupido de postais de Boas Festas.

Não se aborreçam porque não conseguem um orçamento, há muitas pessoas de férias e mesmo as que não estão é como se estivessem, afinal já estamos todos a pensar no fim-de-semana prolongado.

Não contem calorias, afinal é só uma vez no ano que passamos um mês inteiro ou mais porque já há quem comece em Novembro e quem prolongue para Janeiro a enfardar comida em almoços e jantares de Natal, afinal não há limite de festejos.

Não pensem pelos outros, isto de pensar por nós próprios já é difícil, por isso não se metam em aventuras de adivinhar o que os outros estão a pensar, não vale a pena, a sério que não, em 99% das vezes estão a inventar coisas, a ler o que não está a escrito e a ver o que não existe. Na dúvida perguntem.

Não achem que o vosso problema é o maior de todos, os problemas são como as montanhas, por detrás de uma há sempre uma maior, a vossa urgência é sempre relativa quando comparada com outras.

Por amor de Deus, do Menino Jesus, do Pai Natal, do Rodolfo e companhia, do Coelhinho da Páscoa e do rato Mickey não amolem a paciência às pessoas, é que paciência é uma coisa rara e não deve ser gasta com futilidades e insignificâncias.

Se querem que haja paciência, tenham paciência e talvez assim haja mais paciência.

Não é preciso fazer um desenho ou esquema pois não?

Simples, tão simples.