Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

O livro secreto

Há cerca de um ano a MJ lançou a ideia de fazer uma espécie de clube dos livros dos blogs, cada participante selecionou um livro para o círculo e todos os meses recebemos no correio um livro para ler, nunca saberíamos o que o envelope continha.

Já aqui confessei que não estava a pensar bem quando me meti nesta experiência, eu que detesto ler livros “impostos”, que apesar de adorar ler nunca li os livros dos planos curriculares, comprometer-me a ler um livro por mês que escolheram por mim…

Estão mesmo a ver o resultado não estão? Não li todos os livros e deixei alguns a meio.

Mas, li livros fantásticos que de outra forma não leria tenho a certeza e pelo caminho ainda me apaixonei por um autor, Stephen King, o livro “A Luz” não será com certeza o último que lerei deste autor.

Mas foram os livros mais pequenos que mais me marcaram “A Pérola” e “A Contadora de Filmes”, embora não tenha gostado do final de nenhum dos dois.

Confesso que não li “A Sombra do Vento” de Carlos Ruiz Zafón, sabia que não teria tempo de terminar e por isso nem o abri, já sabia que ia ficar com pena de o deixar a meio, fica para mais tarde.

 

Pontos positivos:

- Conhecer livros e autores novos.

- Interação com os restantes membros do grupo.

 

Pontos negativos:

- A dificuldade em ir aos CTT já que não tenho horários compatíveis com as estações de CTT e fazer 30km para colocar um livro nos CTT está fora de questão, por isso atrasei-me algumas vezes.

- Ler um livro que não nos diz nada, eu tentei mas não consegui.


O Balanço é sem dúvida positivo e desejo que a segunda iniciativa seja um sucesso. Eu, infelizmente não participarei da segunda edição que será lançada em breve, por saber que não conseguirei ler os livros e pela dificuldade dos envios decidi não participar, a estante com livros que ainda não li devo dizer que também contribuiu para esta decisão.

Votos de sucesso para segunda edição.

Foi um prazer fazer parte da primeira.

Crítica Literária #3 - A Pérola

A Pérola de John Steinbeck.

1001132 (1).jpg

Se há coisa que não se deve medir pelo tamanho é um livro, porque os há grandes e desprovidos de conteúdo e os há pequenos repletos de uma essência tão forte que parece matéria dos sonhos.

Este foi um daqueles livros em que vidrei, tanto que me forcei a parar para não o terminar no dia em que o que comecei. Quis adiar aquela sensação de ficar órfã de leitura, que sentimos sempre que terminamos um bom livro, mesmo que a estante esteja repleta de bons livros que ainda não lemos.

Este livro é uma poderosa parábola que toda a gente deveria ler, pois é tão atual que poderia ter sido escrito hoje.

Não vos vou falar muito da história digo-vos apenas que é bela e triste como quase todas as que são boas.

Nota positiva de 7.

Boas leituras.

Crítica Literária #2 - O Novíssimo Testamento

350_9789722041690_o_novissimo_testamento.jpg

Este foi o segundo livro que me chegou às mãos pelo O Livro Secreto.

Quando li o título fiquei entusiasmada, mas devo confessar que o entusiasmo diminuiu à medida que fui lendo.

 

Sinopse:

Um romance delirante que põe a hipótese de uma ressurreição de Jesus como mulher No tempo em que os Portugueses imperavam sobre o arquipélago de Cabo Verde, aconteceu num domingo de Páscoa, na minúscula freguesia do Lém, estar a morrer a mulher mais beata que a ilha de Santiago conhecera. Interpelando-a as netas sobre a sua última vontade, não quis ela, como seria de esperar, chamar o padre, respondendo em vez disso que gostaria de ser fotografada. Porém, assim que o flash disparou, um mistério inexplicável varreu a ilha de lés a lés; e, quando, ao fim de muitas peripécias, a fotografia foi finalmente revelada, a surpresa foi tão impossível que não houve, no mundo inteiro, uma só alma que conseguisse manter a boca fechada. A ilha quase ia ao fundo com a confusão… Se o Antigo Testamento anuncia a vinda do Messias e o Novo Testamento narra a vida, a morte e a ressurreição de Jesus, este Novíssimo Testamento é uma autêntica revolução: pois dá testemunho da reencarnação de Jesus no corpo de uma mulher – ilhéu e africana – que parece ter vindo inaugurar a Terceira Idade do Mundo mas não está livre de enfrentar os preconceitos sociais, religiosos e políticos do seu tempo.

 

A história é interessante e o autor escreve bem, mas faz parágrafos tão grandes que tornam a leitura do livro muito pesada, chegam a ser páginas inteiras sem interrupções.

É interessante conhecer a cultura da ilha e os seus costumes, a história tem contornos hilariantes e tem situações que é impossível não rir.

Não é de certeza um livro que marca ou que nos faça querer devorar as suas páginas, mas consegue ser uma leitura descontraída pela história cómica que contrasta com uma escrita demasiado densa.

 

Nota média de 5.

Boas leituras.