Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Coisas que não lembram ao diabo, mas que eu me lembro #1 - O drama das crianças e os WC's



O nome desta rúbrica surge porque surgem muitas vezespensamentos, dúvidas e questões na minha mente nos momentos mais sobre os temasmais esquisitos.
Coisas que não lembram ao diabo, mas que eu me lembro e são normalmentecenas estranhas.



Esta surgiu num WC de um café no Domingo passado, estava eua tentar equilibrar-me para fazer pi sem tocar em nada quando olho em frente evejo um fraldário, nada de anormal. Já estava eu a lavar as mãos quando pensomas porque raio é que os fraldários estão sempre nas casas de banho das mulheres,quer dizer os homens não podem mudar as fraldas aos filhos?
A partir daqui surgiram uma série de perguntas:

- Como é que ainda ninguém fez um movimento para que os fraldáriossejam colocados em ambos os WC’s ou então à parte? Coloca-los no WC dasmulheres não é machismo?

- Quando se vai a um local com uma criança pequena asmulheres costumam levar os meninos ao WC das mulheres, nenhum problema, mascomo fazem os homens acompanhados de uma menina? Não podem leva-la ao WCmasculino porque normalmente existem os mictórios e é assim um bocadinho chato.Pedem a uma mulher simpática que as leve? E se a criança for envergonhada?Voltam a correr para casa? Vão ao WC dos deficientes? Se não existir?

Ontem em conversa com uma amiga que por acaso tem um filhopequeno falei-lhe neste detalhe, ela disse que ainda há dias esteve numcasamento e teve de ser ela a mudar sempre a fralda ao filho porque na quintaonde decorria o casamento o fraldário estava no WC feminino e que por acaso elaaté tinha mencionado ao proprietário que talvez fosse melhor coloca-lo no WCdos deficientes onde podiam entrar ambos os pais. Sabem qual foi a resposta doSr. uma justificação hilariante.

- Menina já pensamos nisso mas depois achamos que não eraboa ideia porque algumas pessoas vão associar deficientes a bebés e vãoreclamar a dizer que fica mal estarem as duas coisas no mesmo espaço.

Hoje em dia não se pode fazer nada sem pensar em todas as consequências,até nas mais estúpidas, isto cansa, estar sempre a prever os resultados de cadaação é assim extenuante.
É quase como as publicações nas redes socais parece quevamos estar sempre a meter-nos com alguém, porque há sempre alguém que vaiachar que aquilo é uma achega, um ataque só porque acordou maldisposto. 

Que raio de sociedade que vê mal em tudo, mesmo em coisaspráticas.