Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Portugal o país do turismo, da tecnologia e da corrupção, sem esquecer o futebol

As três primeiras notícias que abriram as notícias foram de corrupção, primeiro o caso “ Operação Rota do Atlântico, dando lugar de seguida à “Operação Lex”, de seguida é noticiado que dois ex-governantes do Governo de José Sócrates terão usado verbas estatais para usufruto próprio e para que o espectador não perca a onda segue-se o caso das 17 detenções levadas a cabo da operação que envolve a falsificação de cheques da Segurança Social.

No meio destas três notícias ficamos a saber que os juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante foram constituídos arguidos e serão inquiridos no Supremo Tribunal de Justiça, com o apontamento que Fátima Galante estava prestes a ser nomeada para o Supremo Tribunal de Justiça, que existe uma ligação de promiscuidade entre juízes e dirigentes de um clube de futebol e ainda que temos ex-governantes que usurparam verbas.

 

Justiça, política e futebol, uma crise existencial deverá estar prestes a assolar Portugal, para complicar este trio João Palma, ex-presidente do sindicato dos procuradores, declara que a fase “mais negra” da justiça foi durante o governo de José Sócrates, denunciando o relacionamento próximo entre o então primeiro-ministro e o procurador-geral da República, Pinto Monteiro, relação que terá comprometido o exercício da Justiça em Portugal.

Coincidência ou talvez não Rui Rangel foi afastado do caso de José Sócrates por se acreditar que os dois tinham uma relação pessoal e por isso o juiz não seria imparcial.

O décimo segundo arguido do “Lex” é nem mais nem menos que João Rodrigues, ex-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, alegadamente o advogado seria o intermediário entre os interessados em decisões favoráveis e o juiz.

 

Estão a cair bombas, mas o importante mesmo é Luís Filipe Vieira ser arguido, mas só para os não benfiquistas, para a maioria dos benfiquistas isso é um ultraje, temos não um, mas dois juízes envolvidos num esquema de favorecimentos, troca de favores, corrupção, mas o importante é o futebol e os bilhetes que Mário Centeno recebeu.

E é por isso que a informação segue da corrupção para os resultados desportivos, como se a disputa do campeonato nacional fosse de extrema e suprema importância, longe vão os tempos em que a secção desportiva ficava para o final dos blocos noticiosos juntamente com notícias mais leves.

Pelo meio das notícias vamos assistindo às palhaçadas de Trump e logo depois somos presenteados com boas notícias, afinal as maiores e mais conhecidas empresas de tecnologia querem instalar-se em Portugal, tanto que a Microsoft até mandou recado à Google a dizer que chegou primeiro, notícias seguidas pelos bons resultados no turismo, Portugal está na moda, ou se está.

 

Começo sinceramente a duvidar dos motivos dos gigantes tecnológicos escolherem Portugal, quando o Governo cede a uma AutoEuropa, quando uma autoestrada foi estrategicamente coloca à porta da Ikea Industry, a indústria da celulose parece mandar na estratégia ambiental, sem esquecer a mão-de-obra a preços de saldo comparativamente à Europa, será assim tão bom sinal quererem todos de repente instalarem-se em Portugal?

Se calhar é bom sinal eu que sou dada a teorias da conspiração, escaldada das tramoias portuguesas é que já encontro esquemas em todo lado.

A Justiça é o que é, a Política é o que sempre foi, o Futebol nem comento, ao menos que as empresas estrangeiras se instalem para dar o exemplo, já que exemplos de boa gestão, idoneidade, ética e responsabilidade são mais raros em Portugal, que a água no deserto.