Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

A culpa é das mulheres

A propósito do panfleto distribuído em Lisboa que difama uma mulher por ter tido um caso com um homem casado.

Não vou aqui reproduzir a imagem ou sequer escrever a sua mensagem porque é um verdadeiro atentado à privacidade.

 

A mulher traída culpa a outra, a culpa é sempre da outra, às vezes é da esposa e raramente é do homem, esse ser fantástico, espetacular que pobrezinho é coagido a trair, vítima dos seus instintos mais primários sucumbe perante o charme de “Eva” a mulher sedutora e pecadora.

Às vezes penso que as mulheres sofrem do complexo do Paraíso, justificando todos os males do mundo com a sua mordida na maçã, como se tudo fosse culpa desse pecado, a mulher esse ser vil, traiçoeiro que só serve para levar os homens a cair na tentação.

Seria de esperar que nos dias de hoje as mulheres soubessem mais, soubessem que alguém que trai é porque quer, é porque tem vontade e não porque alguém seduz ou alguém negligencia.

Ver a quantidade de mulheres que apoia e aplaude esta atitude ilegal e totalmente despropositada revolve-me o estômago, há ainda uma grande maioria que embora não concorde com o ato de difamação, continua a culpar a outra pela desgraça familiar.

 

A culpa não é da outra, a culpa é das mulheres que se culpam umas às outras e lutam por homens que não merecem sequer que pensem duas vezes neles.

 

Quando há uma traição cabe ao casal decidir se há motivos ou razões para continuar, nestas situações cada um sabe de si e todas as histórias são diferentes e ninguém, ninguém tem direito de julgar seja porque a relação acabou, seja porque a relação continuou.

Independentemente do rumo da relação, a culpada nunca deverá ser a outra ou o outro, quem comete adultério é que é responsável pela sua conduta, pela traição, é essa a pessoa que não é digna de confiança.

Há a questão moral, alguém entrar numa relação sabendo que está a contribuir para um adultério é sempre uma posição dúbia, mas só entra numa relação quem é convidado ou quem encontra espaço para entrar, e se um momento de fraqueza todos podemos ter, repetir esse momento e perpetuá-lo numa relação extraconjugal é inteiramente responsabilidade de quem trai.

 

Reivindicamos a igualdade e depois numa questão tão simples, são as próprias mulheres que se atacam umas às outras, desculpando os homens, juro que não entendo, nunca consegui entender esta atitude e nunca entenderei, passam de feministas a machistas em 2 segundos.

 

Acredito que no meio do choque se possa atirar e disparar raiva para todos os lados, mas sou suficientemente adulta e lógica para saber que o maior culpado é quem trai, esse que trai muitas vezes as duas, que loucas se atacam uma à outra para gáudio do garanhão.

 

Aprendam a valorizar a vossa condição de mulher, a vossa dignidade e integridade, arrastar a vida íntima para a rua não é de todo o mais sensato e mais correto a fazer, esta vingança não atenua a raiva e o ódio, apenas causa mais estragos.

 

Espero que a esposa seja veemente punida por difamação e por violação de privacidade, expor foto, nome, morada, contacto telefónico e ainda fazer um comentário tão maldoso e mesquinho, se queria devassar a vida de alguém que fosse a vida do traidor, sempre servia de aviso a outras, agora cometer um crime por despeito, que estupidez e ignorância tão grandes.

 

A culpa é das mulheres, é das mulheres por se culparem umas às outras em vez de se unirem para dar uma lição ao espertinho que trai.

 

Para as mulheres que acham que correr atrás de um homem ou defender um homem sem escrúpulos é uma causa nobre deixo-vos aqui a opinião interessante de um homem sem problemas em dizer o que os homens pensam sobre as mulheres:

“Pare de idolatrar os homens sua pamonha”

Redes sociais e a extinção das relações humanas

As redes sociais, impulsionadas pelas tecnologias móveis, ignoram o sistema pessoal de autocrítica e conferem a sensação de onipotência, com sérias consequências a nível social.

 

A comunicação digital está a colocar em perigo a comunicação verbal, especialmente entre os jovens, um estudo da Universidade de Michigan chegou à conclusão que alunos que passam muito tempo nas redes sociais, não só perdem o contato com a realidade, como perdem a capacidade de empatia e compaixão.

Esta falta de empatia faz surgir um novo tipo de vergonha, a vergonha da exposição e humilhação públicas por via das redes sociais, o motivo para o aumento significativo de bullying através da Internet, reside no facto de as pessoas sentirem que têm poder para publicar o que quiserem, como quiserem, sem consequências, não havendo preocupação com os sentimentos que as suas palavras causarão nos visados.

As redes sociais, impulsionadas pelas tecnologias móveis, ignoram o sistema pessoal de autocrítica e conferem a sensação de onipotência, com sérias consequências a nível social.

Uma foto que tiramos a um desconhecido numa situação caricata pode tornar-se viral, interferindo a uma escala global com a sua vida, arruinando completamente a sua autoestima e criando dificuldades na sua vida pessoal e social, familiar e profissional.

 

situações onde por receio de serem as próximas vítimas, jovens que recriminariam certo tipo de conduta acabam por contribuir para a sua propagação.

 

Estar atrás de um ecrã dá uma falsa sensação de proteção, faz com que as pessoas percam os filtros e ganhem uma “coragem” virtual que os faz ter atitudes e proferir declarações que não teriam e diriam se estivessem na presença das pessoas, pois a vergonha, o receio de uma reação seriam um travão e um controlo dos comportamentos e palavras.

Offline existem um conjunto de normais sociais, mais ou menos interiorizadas que se traduzem na aceitação de determinados comportamento e recriminação de outros, essas normas parecem ficar à porta da sociedade online, onde o bom sendo, a educação e o politicamente correto são substituídos pela noção de que nas redes sociais se pode dizer tudo o que se pensa.

Estes comportamentos são especialmente perigosos na pré-adolescência e adolescência, altura em que definimos a nossa personalidade e testamos a nossa forma de interagir com os que nos rodeiam, o receio de não ser aceite em determinado grupo aliado à noção de poder aumenta consideravelmente o efeito de contágio de certas publicações e comportamentos, situações onde por receio de serem as próximas vítimas, jovens que recriminariam certo tipo de conduta acabam por contribuir para a sua propagação.

 

o sentimento de bem comum foi subjugado pela cultura do eu, e a construção de relações duradoiras e estáveis deu lugar à satisfação instantânea e passageira do número de gostos e comentários.

Estamos perante dois problemas gravíssimos, se por um lado as pessoas cada vez mais ativas socialmente nas redes sociais demonstram falta de capacidade de se relacionarem pessoalmente, por outro lado essas mesmas pessoas estão a perder caraterísticas essenciais à construção de uma sociedade justa, compreensiva, coesa e feliz, o sentimento de bem comum foi subjugado pela cultura do eu, e a construção de relações duradoiras e estáveis deu lugar à satisfação instantânea e passageira do número de gostos e comentários.

 

a linguagem corporal tão importante como a escrita e a falada está em perigo de perder a sua importância

Paralelamente a esta crise de valores, a transição das interações sociais do real para o virtual cria ainda dificuldades ao nível da linguagem corporal, quando falamos com alguém não dizemos apenas palavras, todo o nosso corpo comunica, os gestos e as expressões que fazemos são um complemento essencial à comunicação, muitas vezes dizemos uma coisa e todo o nosso corpo comunica outra, é assim que percebemos que um familiar ou amigo que diz estar bem, não está, porque a sua linguagem corporal diz-nos o contrário.

As novas gerações ao relacionarem-se quase exclusivamente online, é comum ver jovens que estão lado a lado, mas que comunicam pelo telemóvel, rindo-se para os ecrãs e enviando constantemente mensagens uns para os outros, perderão essa capacidade de reconhecer e exprimir emoções corporais, a linguagem corporal tão importante como a escrita e a falada está em perigo de perder a sua importância, prejudicando grandemente a capacidade de as pessoas exprimirem e reconhecerem emoções.

 

A estas mudanças nos comportamentos sociais há ainda que acrescentar que apesar de as novas formas de comunicação serem em grande escala escritas, a capacidade de compreensão e interpretação de textos não acompanha esta tendência, pois há cada vez mais dificuldade em ler textos longos e explicativos e especialmente uma grande dificuldade em reter mais do que um dado do mesmo texto.

O consumo rápido de informação que se traduz na leitura do título e depois numa leitura na diagonal, não retendo, não analisando qualquer informação, não exercita a capacidade de compreensão, nem a memória, levando a erros de interpretação e julgamento, a par com a crescente dificuldade de distinguir conteúdo de publicidade e notícias verdadeiras de falsas.

 

O que hoje acontece é que não existe compreensão, mas existe muita interpretação e muita descontextualização.

 

Fala-se em problemas de interpretação, ler um texto e retirar dele uma interpretação sempre foi uma dificuldade, talvez porque o modelo de ensino da língua portuguesa não estimule a criatividade e pensamento crítico, mas para interpretar um texto é preciso primeiro compreende-lo, interioriza-lo, só depois disso é que podemos interpreta-lo com base nos nossos conhecimentos e experiência.

O que hoje acontece é que não existe compreensão, mas existe muita interpretação e muita descontextualização.

As pessoas estão a perder a capacidade de comunicação pessoal, as relações pessoais estão a ser substituídas por relações virtuais, empatia e compaixão, valores base de qualquer sociedade equilibrada, estão a desaparecer, a compreensão escrita deu lugar à interpretação sem critério e há um sentimento de impunidade dos comportamentos virtuais.

 

É este o caminho que queremos traçar?

O que nos espera?

Um futuro sem empatia, misericórdia, amizade, caridade, amor, calor humano, abraços, beijos, afetos?

É este o legado das novas tecnologias?

Um mundo frio, sombrio e desprovido de emoções reais?

Não há nada mais importante do que as relações humanas, são a estrutura da sociedade que sustenta tudo o resto, sem relações humanas caminhamos a passos largos para a extinção da humanidade para darmos lugar a seres ligados às máquinas, experienciando a vida dos outros sem nunca terem vivido a deles.

 

Quanto mais nos relacionámos virtualmente, quanto mais tempo passamos nas redes ditas sociais, menos seres sociais (humanos) somos.

 

Como conquistar uma mulher

A propósito do post como conquistar um homem em 10 passos, o Vasco, um leitor, pediu para criar um post sobre como conquistar uma mulher em 10 passos e eu não poderia deixar passar esse pedido em branco.

 

Há 4 formas básicas de chamar atenção de uma mulher.

- Ser estupidamente bonito e jeitoso

- Ser estupidamente rico

- Ser estupidamente charmoso

Se cumprirem algum dos requisitos acima têm a vossa vidinha facilitada, se cumprirem dois elas perseguem-vos, se cumprirem os três são um caso sério de dores de cabeça, se não cumprem nenhum têm de trabalhar mais um bocadinho ou muito, a não ser que sejam um astronauta e aí não precisam de mais nada porque o sonho de todas as mulheres é que alguém as leve à lua e lhes mostre as estrelas.

 

A mulher que vocês desejam conquistar, ou pelo menos que deveriam desejar, sabe o que quer, é inteligente, educada e elegante por isso não irá olhar para vocês a menos que cumpram alguns requisitos básicos:

Inteligência, Educação e Sentido de Humor.

Se são homens normais que cumprem estes requisitos mínimos têm boas hipóteses de encontrarem um par à altura.

Mas pode não ser suficiente e por isso leiam até ao fim.

 

A melhor forma de cativar uma mulher é dar-lhe algo que ela gosta.

O que é que as mulheres gostam?

De se sentirem especiais, de terem acesso a algo diferente e exclusivo, deem-lhe material para se poderem gabar e são vossas.

As mulheres são habituadas deste pequenas a competir, em crianças competem pela atenção, pelo protagonismo, pelo mimo, é frequente a filha competir com a mãe pela atenção do pai, na adolescência competem pelo ídolo da escola, pelas notas, pela popularidade, na idade adulta pela beleza, pela magreza, pelas roupas, pelo emprego, quando têm filhos competem através dos filhos, mas para terem filhos é preciso existir um pai e sim estão a chegar lá, as mulheres competem pelo melhor namorado, pelo melhor marido e pelo melhor pai.

Mas ser o melhor namorado, o melhor marido e o melhor pai é muito complicado especialmente quando o homem ainda está na fase de chamar a atenção da futura namorada.

Aqui entra a necessidade da mulher se gabar de vocês, da aprovação das amigas e da comichão que irão fazer às inimigas. Por isso se querem chamar-lhes à atenção façam com que possam gabar-se e há coisas que quase todas as mulheres gostam, na dúvida treinem todas.

 

Atenção

Antes de avançarmos com as dicas propriamente ditas é preciso pelo menos que se desmarquem do resto dos homens, por isso seja em que ambiente for, se virem uma mulher que vos chame a atenção, tentem chamar a atenção dela de forma simples e natural e não com joguinhos com os amigos.

Como?

Em primeiro lugar vejam se há algum elemento masculino idiota, se houver desmarquem-se dele, depois observem e consoante a ocasião proporcionem uma conversa informal, não falem do tempo, sejam criativos. E nunca, nunca lhe perguntem algo como posso conhecer-te?

E tiverem pessoas conhecidas em comum usem isso a favor, não há mal nenhum em abordar uma mulher, as mulheres gostam de homens confiantes, o que é importante é que não o façam de forma idiota.

E por isso convém que aprendam umas coisas antes e é aqui que entram as dicas:

 

2 temas proibidos na primeira conversa

- Mãe

- Ex-namoradas

 

9 formas de serem mais atraentes

 

1 - Treinarem até conseguirem um corpaço é uma excelente ideia, mas não precisam de exagerar e passarem a viver no ginásio, mas um corpo tonificado não vos faz mal nenhum, por isso sejam fits q.b.

2 - Escolham um corte de cabelo que vos favoreça, uma vez na vida visitem um profissional que vos faça não um corte, mas o corte, depois é só manterem.

3 - Vistam-se bem, as mulheres gostam de homens bem vestidos e que saibam vestir-se para as ocasiões, andar sempre de fato não é uma opção porque ninguém vai de fato beber um café a um Domingo à tarde.

4 - Cuidem das mãos, unhas bem cortadas, sabugos sem peles e pele hidratada.

5 - Livrem-se da caspa por favor.

6 - Procurem o vosso ponto forte e usem e abusem dele.

Têm o rabo jeitoso? Vistam calças que o mostrem.

Têm uns olhos bonitos? Vistam cores que os façam sobressair.

Têm um sorriso bonito? Sorriam muito.

7 – Usem perfume, escolham um perfume bom e usem-no fielmente. As mulheres adoram homens que cheiram bem.

8 – Deem poder aos acessórios, escolham bons acessórios, relógios, cintos, óculos de sol, cachecóis, carteiras, gravatas e sapatos lembrem-se que são os detalhes que contam.

9 – Treinem a expressão puppy eyes

Há quem nasça com ela naturalmente, mas como nem todos são abençoados treinem, deixo-vos aqui alguns exemplos:

 

c65107ed1f2ba30c2dd7d9e3ba8227b2 (1).jpg

cd875fd5f12e3a3ef6ce649969f04754.jpg

index.jpg

 

0

 

 

10 coisas que podem aprender para conquistar uma mulher:

 

1 Música

Conhecem alguma mulher que não tenha tido uma paixoneta por um músico na adolescência?

Nunca pensaram nisso? Deveriam ter pensado.

Apreendam a tocar guitarra ou outro instrumento, sugiro a guitarra pois para além de ser dos mais fáceis de aprender é fácil de transportar e podem dar um concerto em qualquer local.

Se para além disso souberem cantar têm meio caminho andado para o sucesso, sugiro que vejam vídeos dos Maroon Fivee aprendam com Adam.

 

2 Desporto

As mulheres gostam de homens que praticam desporto, lamento mas jogos de computador não contam, por isso é só escolherem um que tenham algum jeito, pode ser o aclamado futebol, mas se for um menos comum como o surf melhor, se for mais radical e menos banal melhor ainda, as mulheres têm tendência para aventureiros.

 

3 Fotografia

Não há nada que as mulheres mais gostem do que alguém que lhes capte a essência, tradução, alguém que lhes consiga tirar fotos onde pareçam mais bonitas do que realmente são.

 

4 Palavras

Treinem as palavras, não pensem que irão fazer com que alguém vos caia aos pés com uns versos, mas saber o que dizer na hora certa é essencial, algumas frases simples bem colocadas são suficientes para demonstrar sensibilidade e romantismo sem cair em exageros.

 

5 Gestos

A menos que estejam a tentar conquistar uma feminista convicta sejam cavalheiros, mas com naturalidade, cortesia e educação ficam bem a toda a gente.

Sejam gentis e bondosos, as mulheres derretem-se facilmente.

 

6 Crianças e Animais

Outra coisa que as mulheres geralmente gostam é de crianças, nada como conquistar os mais pequenos para lhes chegar ao coração, treinem alguns jogos, truques e brincadeiras, farão um enorme sucesso e no fim ainda se divertem.

As que não gostam irão agradecer-vos por terem domado as feras.

Ter jeito para os animais também é um ponto forte, tentem pelo menos não sentir medo dos cães porque não é nada sexy.

 

7 Outras mulheres

A forma como tratam as outras mulheres é importantíssimo, porque reflete como irão tratar a futura namorada.

Aprendam a ser amigos das mulheres, a entende-las, os homens que se dão bem com mulheres têm mais facilidade em conquistar uma mulher porque sabem como agir e sabem o que elas esperam deles. Além disso, homens que cultivam amizades com ambos os sexos têm mais tema de conversa, não se sentem a nadar na maionese em temas femininos e não ficam facilmente constrangidos.

Além disso irão aprender a ouvir o que vos dará imenso jeito no futuro, já que as mulheres adoram falar.

 

8 Cultura

Há poucas coisas mais cativantes do que um homem que consiga falar sobre tudo, que esteja informado e que tenha opiniões formadas e fundamentadas, não é preciso ser-se a pessoa mais inteligente do mundo, mas pessoas cultas transmitem confiança, não confundir isto com ter a mania de saber tudo.

Ler, ir ao teatro, ao cinema, a concretos, exposições, viajar são formas de cultivar a cultura que as mulheres apreciam e valorizam.

 

9 Saber fazer coisas de homem

Leram bem, um homem deve ter conhecimentos básicos de mecânica, eletricidade, pichelaria, saber montar um móvel do Ikea, saber pregar um prego e acima de tudo ser desenrascado e não entrar em pânico.

Ter sangue frio e segurança é extremamente atraente.

 

10 Dançar

Culpa do baile da Cinderela ou da MTV as mulheres gostam de dança e ainda mais que as saibam conduzir numa dança, um homem que saiba dançar não é somente sexy como demonstra confiança.

Podem ver os filmes do Magic Mike, mas a menos que tenham um corpinho daqueles ou uma habilidade incrível para dançar, fiquem-se por coisas mais básicas, como ter sentido de ritmo, já é uma ajuda, umas aulas de danças de salão também não fazem mal a ninguém.

Se querem deixar qualquer uma KO só têm de aprender o move do Dirty Dancing, podem aprender aqui com o Ryan:

Aliás se aprenderem isto não precisam de aprender mais nada, só convém juntarem os abdominais e os puppy eyes.

 

 

Aconselho a verem o filme do qual retirei este excerto, podem aprender muito com o personagem do Ryan - "Crazy, Stupid, Love" ou podem mesmo só aprender o passo do Dirty Dancing.