Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Língua Afiada

Teorias da conspiração

Tenho um problema, digo problema porque apesar de podermos considerar um defeito também pode ser uma virtude.

Eu antecipo ou adivinho teorias de conspiração.

Poderia chamar-lhe intuição, sexto sentido, mas não se trata disso, vai além disso, porque uma coisa é achar que ali há gato, outra é olhar para uma situação ou para um conjunto de pessoas e adivinhar o que lhes passa pela cabeça e antecipar o que irão fazer ou o que já fizeram ou combinaram, especialmente quando isso implica prejudicar alguém.

Infelizmente na maioria das vezes não consigo prova-las, as pessoas que conspiram raramente revelam a conspiração, mas já vi várias, mais do que as desejaria, comprovadas.

Curiosamente isto não se passa só com quem me rodeia, já antecipei situações da esfera pública, mais ou menos como se antecipa o final de um filme ou série, isso infelizmente também acontece muitas vezes.

 

Parece uma coisa boa, antecipar, prevenir, só que não é, primeiro porque quando discuto as minhas teorias com alguém as pessoas tendem a achar que é tudo imaginação minha, segundo porque se começo a dar-lhes muito significado dou por mim a fazer todo o tipo de conjeturas e antecipar todos os cenários possíveis, são sempre terríveis, raramente as pessoas conspiram para o bem dos outros e pode ser muito cansativo.

Por outro lado quando prevejo algo bom e isso também acontece, prevejo sempre em grande, faço logo grandes projetos, não é que crie expetativas, porque a vida já me ensinou que eu empolo demasiado todos os acontecimentos, mas preparo-me muitas vezes para receber boas notícias e raramente sou surpreendida e eu gosto de surpresas, pelo menos das boas.

 

Isto também é um problema porque quando acontece algo que percebo poderia ter previsto, não me perdoo, especialmente quando os meus alarmes soaram e eu resolvi ignora-los, mas como disse estar sempre a antecipar os movimentos dos outros é muito cansativo.

É cansativo, mas já dei por mim várias vezes a dizer, eu avisei, eu disse, já tinha previsto isto e surpreendo as pessoas quando me contam incrédulas algum facto com um - Já sabia. Sabias como? Perguntam. Não sei, mas já sabia.

 

E vocês são dados a teorias da conspiração? Tentam adivinhar, pressentem? Ou não ligam nada a estas coisas? Contem-me que eu às vezes acho que vivo num filme, mas pressinto que não sou a única.

Notícia de última hora - Trump é um Alien

Após o empresário Robert Bigelow, consultor e colaborador da NASA, ter afirmado que está “absolutamente convencido” de que os extraterrestres existem – e que vivem entre nós na Terra, a organização de hackers mais famosa do mundo, os Anonymous, fez a declaração bombástica:

 

Donald Trump não partilha o código genético dos humanos, tem DNA desconhecido e de origem alienígena.

 

Ainda segundo o mesmo grupo, Donald Trump, não estará sozinho, outros seres da mesma espécie habitam entre nós e estarão em diversos cargos de poder, o grupo não sabe ainda o planeta ou sistema solar de onde são provenientes estes espécimes, mas revelou que o seu plano é tornar o planeta terra inabitável para humanos para que possa ser invadido e colonizado pela sua espécie.

Na agenda estarão dois eventos uma terceira guerra mundial com recurso as armas nucleares e químicas e o agravamento do aquecimento global, estes dois eventos combinados tornarão o planeta propício a ser habitado pela espécie alienígena.

 

Ontem Donald Trump anunciou a saída dos EUA do Acordo de Paris, esta decisão que foi encarada como o primeiro passo para levar a cabo o diabólico plano de invasão terá dado o mote para a revelação da sua origem por parte do grupo Anonymous.

 

Na declaração ao mundo, os Anonymous aconselham os humanos a detetarem possíveis alienígenas, os traços mais evidentes são o cabelo levantado, que é a sua forma de comunicação por onde emitem ondas telepáticas e a tez da face avermelhada causada pela adaptação forçada à nossa atmosfera, para além destas duas caraterísticas, o exagero e a repetição de gestos e tiques também pode ser sinal da construção de uma personalidade artificial.

 

O grupo recomendou ainda que os terrestres tivessem especial cuidado com as mensagens nas redes sociais, especialmente na rede Twitter e Facebook, as redes mais usadas pelos alienígenas para divulgarem mensagens codificas e subliminares que fazem os leitores acreditarem que estes seres são pessoas dignas de confiança.

Foi avançada ainda a possibilidade de Marie Le Pen ser alienígena ou estar sobre o controle dos mesmos, mas ainda não existiu confirmação, enquanyo o grupo terrorista Daesh foi confirmado ser controlado pelos alienígenas, sendo que estão previstos novos ataques com vista ao estalar de uma nova guerra.

 

O grupo Anonymous recomenda que nos próximos dias as pessoas diminuam o uso das redes sociais e estejam a atentas a possíveis ameaças, especialmente em locais públicos com muitas pessoas.

Se desconfiar que está na presença de um alienígena para confirmar pode puxar-lhe o cabelo, se em vez de cabelo se desprenderem cabelagens elétricas ligue imediatamente para O MIB - Homens de Negro, caso não tenha o número pode ligar para o Controle de Animais.

 

Esteja atento, eles andam aí e estão entre nós.

Estamos na adolescência social

Hoje, questionava se estaríamos a ficar menos inteligentes?

Ressalvando que não considero ter uma inteligência acima da média, embora às vezes possa dar a entender isso em alguns comentários, sei que existem pessoas com mais capacidades que eu e outras com menos.

 

Posto isto, nos últimos tempos em contexto laboral tenho-me deparado com pessoas que se não têm uma inteligência abaixo da média fazem-me crer que eu sou superdotada. Mas como sei que não sou, tenho de constatar que existem pessoas muito pouco capacitadas neste país e o mais assustador é que algumas trabalham em quadros altos de multinacionais.

Sempre existiram pessoas limitadas e pessoas superdotadas, acho que a diferença é que, atualmente, as pessoas não reconhecem as suas limitações, acham sempre que sabem tudo, são incapazes de ouvir, de perguntar, assumem que são conhecedoras de todos os assuntos e têm opinião sobre tudo.

Consequência: passam a vida a cometer erros para os quais arranjam as desculpas mais esfarrapadas, mas de tal forma elaboradas e proferidas com tamanha eloquência que para os mais desatentos parecem válidas.

 

Antigamente as pessoas escusavam-se de falar de alguns assuntos porque tinham receio que os outros percebessem que não tinham conhecimento de causa, preferiam ouvir, investigar e só depois dar uma opinião, hoje as pessoas empolam-se a falar daquilo que não sabem como se fossem peritos.

Parecemos um grupo de adolescentes cheios de razão a relegar os adultos (todos os outros) para segundo plano porque eles não sabem, não entendem como nós, nós somos o centro do mundo e nós é que sabemos e não há lugar a discussão.

 

Com tantos anos de evolução social afinal estamos agora na adolescência, passamos pela infância onde esperávamos que os adultos, aqui representados pelos peritos em determinada matéria nos explicassem como fazer, para a adolescência onde todos sabem tudo, onde todos acham que têm razão e onde os peritos não têm qualquer perícia porque afinal o Google dá todas as respostas.

Estamos numa espécie de adolescência social, a boa notícia é que existe mais espaço para o diálogo, para o questionamento, para mudanças, a má notícia é que algumas pessoas nunca chegam à idade adulta e algumas sociedades poderão nunca chegar.

 

Uma sociedade adulta seria gerida por valores mais altos, paciência, sapiência, pragmatismo, calma, praticidade, igualdade e justiça e uma vez adulta, a sociedade melhoria com o tempo, porque isto de amadurecer depois de sermos adultos é só vantagens.

Gosto de imaginar que é possível construir uma sociedade onde as pessoas sejam valorizadas pelo que realmente são, onde exista igualdade de oportunidades, onde a única coisa que nos define são as nossas capacidades e não a nossa proveniência, a nossa raça, o nosso sexo, a nossa aparência.

Uma sociedade onde ser seja mais importante do que parecer, onde as imitações e as cópias não sejam possíveis porque não serão aceites.

Onde cada individuo valha por si e não por ser filho de alguém, por ser conhecido daquele ou protegido daqueloutro, onde se tirem cursos por vocação e se exerça por aptidão.

Uma sociedade onde o filho do lixeiro seja Presidente da República, não porque colecionou favores durante a vida, mas porque nasceu com capacidade de governar e inspirar.

Uma sociedade amadurecida, sábia e justa.

Não, isto não é uma utopia, utopia é pedir que de um dia para o outro deixem de existir pobres e ricos, existirão sempre desigualdades a menos que sejamos todos pobres, é pedir igualdade de oportunidades.

 

As grandes questões são:

Interessará essa igualdade a quem tem capacidade de mudar as questões chave para que a sociedade seja mais justa?

 

Quem gere as sociedades alguma vez deixará que se deixe de valorizar a proveniência e as relações das pessoas? Alguma vez colocarão os interesses da sociedade antes dos seus interesses pessoais?

 

Pessoas que acreditam nesta igualdade alguma vez chegarão ao poder?

 

Não, porque esta evolução é um processo lento e demorado, que não interessa a quem tem poder de a iniciar.

 

Infelizmente o mais provável é que nunca venha a existir uma sociedade adulta, sábia e justa.

 

Continuaremos indefinidamente na adolescência social.